Rede Voltaire
Turquia o pretexto da OTAN

A Turquia mentiu para responsabilizar a Síria pela morte de civis

+

Damasco nega ter aceitado culpa por ataque. A Turquia mentiu ao dizer que a Síria se desculpou e aceitou a responsabilidade pelo ataque mortal ao povo turco que colocou ambos os países à beira de uma guerra, segundo revela o sítio Infowars.com.

O representante sírio na ONU, Bashar al-Jaafari, afirmou que expressou as condolências, mas não apresentou desculpas, pela morte de cinco civis em solo turco por causa de um projétil procedente de território sírio esta quarta-feira. “Não se tratou de desculpas, mas sim de uma manifestação de solidariedade com os civis”, disse o diplomata aos jornalistas.

Al Jaafari sublinhou que o seu Governo continua a investigação sobre o ataque e que é preciso prestar atenção aos grupos armados de insurgentes sírios que actuam na zona fronteiriça, que com frequência cruzam a fronteira para fugir do avanço das tropas sírias.

O representante sírio desmentiu assim a amplamente difundida declaração do vice-primeiro- ministro turco, Besir Atalay, que disse esta quinta-feira, um dia depois do ataque, que a Síria admitia a sua responsabilidade no bombardeio que deixou cinco civis mortos e que oficialmente tinha pedido desculpas pelo incidente. "Reconheceram-no e prometeram que isto não se voltaria a repetir”, afirmou Atalay à imprensa, momentos depois de ser aprovada a moção do Parlamento que autorizou o Governo a enviar tropas para o estrangeiro.

Segundo o portal Infowars.com, era essencial para a Turquia conseguir a culpabilidade da Síria pelo ataque aos olhos da comunidade internacional, que sonoramente condenou o regime de Bashar al Assad pese a clara falta de provas, considerando o facto de o primeiro-ministro Tayyip Erdogan imediatamente ter exigido aos Estados Unidos a declaração de uma zona de exclusão aérea sobre a Síria.

A página web também se refere a uma gravação que mostra insurgentes sírios presumivelmente na zona do ataque e na posse de morteiros e projeteis iguais aos que tombaram no povoado turco. Após a morte de civis a 3de outubro, a Turquia respondeu com fogo de artilharia contra alvos sírios próximos à fronteira nesta quarta e quinta-feira.

A OTAN e a ONU condenaram o ataque perpetrado a partir do território sírio, mas abstiveram-se de comentar a resposta turca. Além do mais, esta sexta-feira vários media turcos informaram que as Forças Armadas abriram fogo de novo contra a Síria, assim que outro projétil de morteiro, presumivelmente lançado a partir da Síria, caíra em território fronteiriço turco.

Como os outros membros da OTAN, a Turquia apoia os insurgentes que combatem as forças governamentais da Síria no conflito, que se prolonga desde março de 2011.

Tradução
Alva

Fonte: RT, 6 de outubro de 2012.

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
Autores: diplomatas, economistas, geógrafos, historiadores, jornalistas, militares, filósofos, sociólogos ... poderá enviar-nos seus artigos.
Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.