Rede Voltaire
Turquia o pretexto da OTAN

A Turquia mentiu para responsabilizar a Síria pela morte de civis

+

Damasco nega ter aceitado culpa por ataque. A Turquia mentiu ao dizer que a Síria se desculpou e aceitou a responsabilidade pelo ataque mortal ao povo turco que colocou ambos os países à beira de uma guerra, segundo revela o sítio Infowars.com.

O representante sírio na ONU, Bashar al-Jaafari, afirmou que expressou as condolências, mas não apresentou desculpas, pela morte de cinco civis em solo turco por causa de um projétil procedente de território sírio esta quarta-feira. “Não se tratou de desculpas, mas sim de uma manifestação de solidariedade com os civis”, disse o diplomata aos jornalistas.

Al Jaafari sublinhou que o seu Governo continua a investigação sobre o ataque e que é preciso prestar atenção aos grupos armados de insurgentes sírios que actuam na zona fronteiriça, que com frequência cruzam a fronteira para fugir do avanço das tropas sírias.

O representante sírio desmentiu assim a amplamente difundida declaração do vice-primeiro- ministro turco, Besir Atalay, que disse esta quinta-feira, um dia depois do ataque, que a Síria admitia a sua responsabilidade no bombardeio que deixou cinco civis mortos e que oficialmente tinha pedido desculpas pelo incidente. "Reconheceram-no e prometeram que isto não se voltaria a repetir”, afirmou Atalay à imprensa, momentos depois de ser aprovada a moção do Parlamento que autorizou o Governo a enviar tropas para o estrangeiro.

Segundo o portal Infowars.com, era essencial para a Turquia conseguir a culpabilidade da Síria pelo ataque aos olhos da comunidade internacional, que sonoramente condenou o regime de Bashar al Assad pese a clara falta de provas, considerando o facto de o primeiro-ministro Tayyip Erdogan imediatamente ter exigido aos Estados Unidos a declaração de uma zona de exclusão aérea sobre a Síria.

A página web também se refere a uma gravação que mostra insurgentes sírios presumivelmente na zona do ataque e na posse de morteiros e projeteis iguais aos que tombaram no povoado turco. Após a morte de civis a 3de outubro, a Turquia respondeu com fogo de artilharia contra alvos sírios próximos à fronteira nesta quarta e quinta-feira.

A OTAN e a ONU condenaram o ataque perpetrado a partir do território sírio, mas abstiveram-se de comentar a resposta turca. Além do mais, esta sexta-feira vários media turcos informaram que as Forças Armadas abriram fogo de novo contra a Síria, assim que outro projétil de morteiro, presumivelmente lançado a partir da Síria, caíra em território fronteiriço turco.

Como os outros membros da OTAN, a Turquia apoia os insurgentes que combatem as forças governamentais da Síria no conflito, que se prolonga desde março de 2011.

Tradução
Alva

Fonte: RT, 6 de outubro de 2012.

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
Autores: diplomatas, economistas, geógrafos, historiadores, jornalistas, militares, filósofos, sociólogos ... poderá enviar-nos seus artigos.
Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.

O início da viragem do mundo
A estratégia russa face ao imperialismo anglo-saxónico
O início da viragem do mundo
Thierry Meyssan
Ucrânia, objectivo na mira
«A arte da guerra»
Ucrânia, objectivo na mira
Manlio Dinucci, Rede Voltaire
 
Os «salvadores» do Iraque
«A arte da guerra»
Os «salvadores» do Iraque
Manlio Dinucci, Rede Voltaire
 
Ofensiva global NATO
"A arte da guerra"
Ofensiva global NATO
Rede Voltaire
 
Quem é o inimigo?
Israel
Quem é o inimigo?
Thierry Meyssan, Rede Voltaire
 
A metamorfose de Bachar el-Assad
A metamorfose de Bachar el-Assad
Thierry Meyssan, Rede Voltaire
 
Extensão da guerra do gaz ao Levante
«Sob os nossos olhos»
Extensão da guerra do gaz ao Levante
Thierry Meyssan, Rede Voltaire
 
O «Curdistão», versão israelita
«Sob os nossos olhos»
O «Curdistão», versão israelita
Thierry Meyssan, Rede Voltaire