Rede Voltaire

Meios da OTAN usados pelos jiadistas para atacar um hospital em Alepo Ocidental

+

A 5 de Dezembro, os jiadistas de Alepo-Leste dispararam sobre um hospital militar móvel que a Rússia tinha acabado de instalar em Alepo-Oeste, afim de tratar as crianças que fugiam da ditadura da Al-Qaida.

O hospital tinha sido colocado no próprio dia.

De imediato, as autoridades russas acusaram os Estados Unidos, a França e o Reino Unido de terem fornecido aos jiadistas as coordenadas do seu hospital.

Vários membros da NATO responderam acusando a Rússia de «bloquear o Conselho de Segurança da ONU» [1].

Após verificação, parece que os jiadistas acertaram directamente no hospital sem proceder aos tiros de ajuste habituais do fogo de artilharia; que eles receberam efectivamente as coordenadas do hospital sob a forma de imagem satélite; que estas imagens foram fornecidas pelo Landcom –-o Centro de Comando das Forças terrestres da OTAN, situado em Esmirna (Turquia)---.

Tal como na Líbia, onde os meios da OTAN foram utilizados por alguns Estados-membro sem autorização do Conselho do Atlântico e, portanto, em violação do Estatuto da Organização, a guerra contra a Síria é conduzida, desde o a primeiro dia, sob a coordenação da Aliança Atlântica.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.