Rede Voltaire

Grupos pró-britânicos hostis às negociações intra-sírias de Astana

+

Depois dos Estados Unidos, a França e o Reino Unido terem expresso as suas dúvidas sobre as negociações de Astana (Cazaquistão), a 31 de Dezembro de 2016 no Conselho de Segurança, vários grupos signatários do cessar-fogo russo-turco ameaçam não participar nelas [1].

É nomeadamente o caso do Jaysh al-Islam, o grupo da família Allouche, apoiado pelo MI6 britânico.

Preparando a sua possível retirada, estes signatários sublinham que os combates que se desenrolam agora em Wadi Barada (a 15 quilómetros de Damasco) violariam o cessar-fogo. Os combates opõem o Exército Árabe Sírio à Al-Qaida, Jaysh al-Islam e elementos que se dizem do Exército Sírio Livre.

Estes combates visam expulsar os jiadistas que tentam impedir a reparação das instalações hidráulicas poluídas (com gasóleo- ndT), a 23 de Dezembro de 2016, pelo Jaysh al-Islam. De facto, os 5 milhões de habitantes da capital estão privados de água corrente desde há uma semana, forçando as autoridades a fazer passar camiões-cisterna nos bairros de Damasco para abastecer a população de água. Esta batalha dura há várias semanas, nomeadamente depois da libertação da aldeia de Harira pela República Árabe Síria.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.