Rede Voltaire

A Scotland Yard revela os nomes de três terroristas de Londres

+

A polícia britânica revelou os nomes de três pessoas que perpetraram o ataque de Londres, a 3 de Junho de 2017. Trata-se de Youssef Zaghba, Khuram Shazad Butt, e Rachid Redouane (foto).

O Italo-Marroquino Youssef Zaghba estava sob vigilância em Itália desde que ele fora detido no Aeroporto Marconi em Bolonha, ao tomar um avião para Istambul [1]. Então, ele tinha declarado aos carabinieri: «Eu vou com o fim de me tornar um terrorista» [2]. O seu telefone portátil(celular-br) continha vídeos de jiadistas [3], e os Serviços de Inteligência italianos preveniram para o perigo os seus colegas britânicos quando ele se dirigiu para Londres. No entanto, o MI5 não o considerou como perigoso.

O Britânico-Paquistanês Khuram Shazad Butt tinha aparecido, no ano passado, no documentário do Channel 4, The Jihadis Next Door («Os jiadistas da porta ao lado»- ndT). Ele é um dos membros do grupo wahhabita al-Muhajiroun, que havia organizado, em Setembro de 2006 na Jameah Islamiyah School (East Sussex), um treino de tiro e combate. O seu líder, Anjem Choudary, ligado ao Hizb ut-Tahrir, que não fora condenado na altura, cumpre, hoje em dia, uma pena de 5 anos e meio de prisão por fazer a apologia do Daesh (E.I.). Khuram Shazad militava no seio do The Shariah Project, um tentáculo da al-Muhajiroun, para convencer os bares e os supermercados geridos pelos muçulmanos a deixar de vender álcool, em definitivo.

O Ministério do Interior britânico proibiu a associação al-Muhajiroun, depois em 2010 três outras organizações que tentaram reconstitui-la (entre as quais Islam4UK) e mais três outras em 2014 (entre as quais a The Shariah Project). Os Serviços de Inteligência britânicos, que sempre vigiaram com preocupação as actividades em solo nacional da al-Muhajiroun, encorajaram, pelo contrário, algumas das suas acções no estrangeiro, nomeadamente no Afeganistão, na Índia (Caxemira) e na Rússia (Cáucaso).

Rachid Redouane seria um Marroquino-Líbio.

Além disso, segundo o The New York Times, Salman Abedi, autor do ataque de Manchester, a 22 de Maio de 2017, teria estabelecido contactos em Sabratha, na Líbia, com a al-Battar al-Libi, uma brigada do Daesh [4].

Tradução
Alva

[1] «Esplora il significato del termine: Attentato Londra: Youssef Zaghba, ecco il terzo terrorista. Fu fermato a Bologna, la madre italiana vive lì» («Explora o significado da frase : Atentado em Londres : Youssef Zaghba, o terceiro terrorista. Ele foi detido em Bolonha, a mãe italiana vive lá»- ndT), di Fiorenza Sarzanini, Corriere della Sera, 06 giugno 2017.

[2] «Quando Youssef Zaghba disse ai poliziotti italiani: "Vado a fare il terrorista"» («Quando Youssef Zaghba disse aos polícias : Vou para tornar-me um terrorista»- ndT), Calo Bonini, La Repubblica, 06 giugno 2017.

[3] «Attentato Londra, identificato il terzo terrorista: Youssef Zaghba, italo-marocchino», Fabio Tonacci, La Repubblica, 06 giugno 2017.

[4] "Manchester Bomber Met With ISIS Unit in Libya, Officials Say" («Bombista de Manchester Esteve Com Unidade do ISIS/Daesh na Líbia, Afirmam Agentes»- ndT), Rukmini Callimachi & Eric Schmitt, The New York Times, June 3, 2017.

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.