Rede Voltaire

Manifestações anti-governamentais no Khorassan iraniano

+

Importantes manifestações tiveram lugar, a 28 de Dezembro de 2017, em Khorassan (região do Irão junto à fronteira afegã). Os contestatários denunciaram o desemprego, a corrupção governamental e a baixa do nível de vida.

As principais cidades atingidas foram Meched (santuário do Imã Reza e terceira aglomeração do país), Birjand, Kashmar e Nishapur.

Segundo as imagens disponíveis, as multidões gritavam : «Não é em Gaza, nem no Líbano, a minha vida é no Irão !», «Morte a Rohani!» e em alguns casos «Morte ao ditador!».

Contrariamente ao relato que disto fazem os média (mídia-br) ocidentais, estas manifestações nada têm a ver com a «revolução verde» de 2009. Nessa época, tratava-se de derrubar o Presidente Mahmoud Ahmadinejad e de o substituir por um pró-EUA. Os protestos davam-se quase que exclusivamente em Teerão e Isfahan. Eram sobretudo expressões da burguesia desafogada. Pelo contrário, os últimos acontecimenos são de origem sobretudo popular. As manifestações são dirigidas principalmente contra o Xeque Hassan Rohani, que tinha prometido o levantamento das sanções a partir da assinatura do Acordo dos 5 + 1; ora, muito embora o Tratado tenha sido assinado, as sanções jamais foram levantadas. Criticam-no também pelo incrível enriquecimento do seu circulo. Secondariaente, os contestatários apelaram ao Guia da Revolução, Aiatola Ali Khamenei. Eles reprovam-lhe ter renunciado a controlar o Presidente e consagrar os seus esforços à defesa exclusiva dos Palestinianos, do Hezbolla e da Síria. Os partidários do antigo Presidente Ahmadinejad (cujos próximos estão interditos de concorrer às eleições) juntaram-se aos manifestantes.

A polícia mostrou-se muito tolerante: a unidade de policias motorizados confraternizou com os manifestantes. Em Meched, eles passaram pelo meio da multidão que os aplaudiu.

O desemprego é oficialmente de 12%, mas está distribuído de forma muito desigual no conjunto so país. Seria, assim, muito mais alto no Khorassan.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.