Rede Voltaire

Últimas notícias a propósito do possível ataque ocidental à Síria (12 de Abril)

+

Acontecimentos que ocorreram a 12 de Abril de 2018

Segundo o Daily Telegraph , Theresa May ordenou posicionar submarinos na proximidade das costas sírias. Segundo o The Times, a Base Aérea britânica de Akrotiri (Chipre) está pronta para o ataque.

• O Secretário-Geral da ONU, António Guterres, telefonou aos representantes dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança para os exortar a «evitar uma situação fora de controlo» e recordar-lhes que «no fim, os nossos esforços visam pôr um fim ao terrível sofrimento do povo sírio».

• O Exército Árabe Sírio libertou a totalidade da Ghuta Oriental. A polícia militar russa foi colocada na zona.

• O Kremlin confirma que o canal de comunicação entre os militares russos e norte-americanos sobre as suas operações na Síria, destinado a evitar incidentes, está actualmente «activo».

• Enquanto recebia o Conselheiro do Guia da Revolução iraniano, Ali Akbar Velayati, o Presidente sírio, Bashar al-Assad, advertiu contra qualquer iniciativa ocidental que desestabilizasse ainda mais a região.

• Num discurso televisionado, o Presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan, declarou: «Estamos extremamente preocupados com os países que se apoiam na sua força militar para transformar a Síria num terreno de braço de ferro».

• O Embaixador russo na ONU em Genebra, Gennady Gatilov, denuncia como «inaceitável» a repetição pela Organização Mundial da Saúde (OMS) das alegações dos “capacetes brancos” a propósito de um ataque químico na Ghuta.

• O Presidente norte-americano, Donald Trump, twittou : «Jamais disse quando teria lugar um ataque contra a Síria. Isso poderá acontecer muito em breve ou não tão cedo! De qualquer forma, os Estados Unidos, sob minha Administração, tem feito um excelente trabalho para livrar a região do Estado Islâmico. Onde está o nosso «Obrigado América» ? [O grupo naval partido de Norfolk só estará em posição no Mediterrâneo daqui a um mês, NdR].

• O Presidente francês, Emmanuel Macron, declarou na TF1 ter «a prova» do ataque químico na Ghuta.

• A Chancelerina alemã, Angela Merkel, indica que o seu país não participará numa acção militar contra a Síria, mas declara apoiá-la. Ela diz: «Agora temos de reconhecer que é evidente que a destruição [das armas químicas sírias] não foi total».

• A porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, declara: «Ninguém deu o direito aos dirigentes ocidentais de se atribuir o papel de gendarmes do mundo, ao mesmo tempo de investigador, procurador, juiz e carrasco».

• O Presidente da Comissão de Defesa da Duma, Vladimir Shamanov, anuncia que os navios russos deixaram o porto sírio Tartous tal como previsto no caso de ameaça.

• O Presidente francês Emmanuel Macron e a Chancelerina alemã, Angela Merkel, conferenciaram por telefone. Eles «lamentaram os bloqueios actuais do Conselho de Segurança das Nações Unidas, cujas resoluções não são respeitadas».

• Ouvido pelo Congresso, o Secretário norte-americano da Defesa, o General James Mattis, declarou não ter provas do suposto ataque químico na Ghuta.

• O representante da Síria na ONU, Bashar Jaafari, anuncia que os inspectores da OPCW(OPAQ), em vários grupos, chegarão à Síria a 12 e 13 de Abril. Enquanto a OPAQ indica que os seus especialistas começarão os seus trabalhos sábado.

• A Suécia apresenta, no início de uma reunião à porta fechada do Conselho de Segurança, uma proposta de resolução solicitando ao Secretário-Geral para enviar uma missão de desarmamento à Síria afim de aí resolver «todas as questões ligadas com o uso de armas químicas de uma vez por todas».

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.