JPEG - 15.7 kb

O principal representante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no País, João Pedro Stédile, em entrevista ao Jornal do Commercio, demonstrou indignação com as denúncias feitas por Maria de Oliveira. Ele informou que a coordenação nacional do MST vai cobrar um posicionamento do Governo Federal. “Nós sabemos, em teoria, que todas as dependências diplomáticas dos Estados Unidos são usadas também para espionagem aqui no Brasil e em todas as partes do mundo”. Ele classificou a atitude como ridícula e descabida. “Esse governo se comporta como polícia do mundo e não respeita a soberania de nenhum país”.

Posicionamento

Nós vamos pedir explicações ao governo brasileiro e exigir providências para que os diplomatas norte-americanos se restrinjam às atividades diplomáticas e não de ingerência nos assuntos internos do País e muito menos dos movimentos sociais que aqui atuam.”

Repercussão

“Acreditamos que os fatos que vieram a público pela superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Pernambuco, Maria de Oliveira, é uma denúncia a todas as entidades internacionais sobre a ingerência do governo Bush em assuntos internos dos países. Imaginem o que eles estão fazendo no Haiti, Equador e Panamá e Guantánamo. Esta, infelizmente, é uma prática normal de um governo fascista, belicista e imperialista como o Governo Bush.”

Prepotência

“O episódio revela a extrema prepotência do Governo Bush, que se dá ao direito de, tomando conhecimento de fofocas pela imprensa, ir ele mesmo checar se as informações são corretas ou não (referência às denúncias da CPMI da Terra de que as Farc teriam ligação com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST). Demonstra também que esse governo se comporta como polícia do mundo e não respeita mais a soberania de nenhum país.”

Precedentes

“Nós sabemos, em teoria, que todas as dependências diplomáticas dos Estados Unidos são usadas também para espionagem aqui no Brasil e em todas as partes do mundo. Sabíamos das denúncias, ano passado, do escritório formal que a CIA mantinha em São Paulo com o conhecimento do governo do Brasil. Mas como estavam dentro do consulado, não havia nada a fazer.”

FBI

“Também tomamos conhecimento pelas denúncias de um ex-diretor do FBI no Brasil que, ao aposentar-se, revelou em longa entrevista à Carta Capital todas suas maquinações para colher informações e pagar delegados da Polícia Federal. E de que, inclusive, o FBI gasta milhões de dólares todos os anos para repassar a membros da Polícia Federal com o objetivo de desenvolver atividades em parceria. De maneiras que as atividades deles são tão prepotentes que até nem se preocupam em esconder muito.”

Reação

“De nossa parte, não temos nenhuma preocupação porque nosso movimento luta por terra, por trabalho, por escola e por dignidade. Reivindicações que não só são legítimas como são direitos fundamentais de que qualquer pessoa, inclusive nos Estados Unidos.”