JPEG - 14.8 kb

Até aí, nada demais, se o visitante não fosse o maior responsável, através da ação de seu governo, pelo recrudescimento da miséria, pela degradação ambiental, pela ameaça constante à soberania dos povos - seja através da intervenção militar seja através da cobrança de dívidas - pela instauração de um modelo que vem conduzindo os países à situação de extrema injustiça.

Desde várias gerações, o governo dos EUA tenta universalizar um projeto de dominação e saqueio do nosso continente, com o apoio do governo brasileiro, que vem abraçando uma política sub-imperialista principalmente na América do Sul, forjada num modelo centrado na lógica do mercado como único vetor do desenvolvimento.

De fato, como anunciou o Ministro Furlan, o Presidente Lula "vai servir a Bush produtos que não estão na mesa dos americanos"

Lula vai servilmente organizar um banquete para agradar ao império, com as nossas melhores especiarias: nossa biodiversidade, nossas áreas preservadas, nossas águas de superfície e subterrâneas e nossa diversidade étnica. Todas elas servidas nas bandejas da ALCA, das PPPs, do Ajuste Estrutural, do Aqüífero Guarani, da Lei da biodiversidade e da IIRSA. Isso poderá representar um fortalecimento dos acordos já em curso pela diplomacia brasileira.

Vale lembrar que até agora nenhuma iniciativa do governo brasileiro - mesmo que frágil - de contestação à ordem econômica ditada por Bush e seus aliados europeus, teve o apoio do governo americano.

Se o Presidente Lula tivesse uma outra visão de desenvolvimento, esta visita poderia ser aproveitada para a discussão de temas que ameaçam a soberania latino-americana tais como: a implantação de bases militares no continente, a intervenção "branca" na Colômbia, as constantes tentativas de desestabilização da Venezuela, o acobertamento de terroristas e o bloqueio a Cuba. Talvez, com esse cardápio, Bush recusasse o "jantar" oferecido.

Estamos fazendo um chamado geral a todas as pessoas, movimentos e instituições, defensores e defensoras dos direitos humanos, da igualdade, da solidariedade e da paz para: Dizer Não à ALCA;

Dizer Não às Bases Militares; Dizer Não ao Ajuste Estrutural; Dizer Não à negociação da nossa biodiversidade; Dizer Não à política intervencionista norte-americana.

FORA BUSH!

Adital