Durante um ato de protesto na Praça Anti-Imperialista de Havana, perante a Repartição de Interesses dos Estados Unidos, na capital cubana, vários oradores denunciaram que ao mesmo tempo que seu governo liberta um conotado terrosita, aquele país mantém em prisão cinco jovens cubanos, que justamente lutavam contra o terror anti-cubano da Flórida.

Os participantes também exigiram o encarceramento de Posada ou sua extradição para a Venezuela, onde deve encarar um processo por seus inúmeros crimes, que incluem a explosão em pleno vôo de uma avião comercial cubano em 1976, com 73 pessoas a bordo.

O protesto aconteceu na mesma data em que há 46 anos os cubanos repeleram a invasão mercenária de Baía dos Porcos, conhecida em Cuba como a vitória de Playa Girón.

O ato foi precidido por Julio Martínez, Primeiro-Secretário da União de Jovens Comunista, assim como líderes da organização estudantil.

Fonte
Agence Cubaine de Nouvelles

Agência Cubana de Notícias