O ciclo de filmes, que abrirá suas portas no próximo sábado 08 com "O dia em que os pais se foram de férias", de Cao Hamburguer, incluirá oito longas-metragens de ficção e quatro documentários e tem duração prevista até o dia 14 desse mesmo mês.

Lugar de destaque, sem dúvida merecerá o filme "Zuzu Angel", do cineasta Sérgio Resende, com estréia prevista para 09 de setembro e protagonizado por duas populares figuras do momento: a talentosa Patrícia Pillar e o jovem Daniel de Oliveira, ambos no elenco da telenovela "Cabocla", que ocupa o horário nobre do canal Cubavisión.

O filme que denuncia a brutalidade da ditadura militar nesse país, conta uma história real: a trajetória da designer Zuzu Angel, cujo filho foi assinado pelos corpos repressivos do regime em 1971, fato que mudou totalmente sua perspectiva sobre a vida, anteriormente voltada para o glamour e os paetês das passarelas.

A partir de então a artista da moda não só tentou recuperar o cadáver de Stuart, mas denunciou dentro e fora do Brasil a barbárie da tirania castrense imposta à força em abril de 1964.

Sua azarada existência que culminou em 1976 de maneira trágica e em estranhas circunstâncias, motivou no ano passado ao diretor de cinema Sérgio Resende e ao escritor Marcos Bernstein, para conceberem o roteiro e realizar o filme.

A projeção de "Zuzu Angel" em Cuba coincide com a publicação pela primeira vez no Brasil do livro oficial titulado "Direito à memória e à verdade" que detalha as atrocidades cometidas pela ditadura militar entre 1964 e 1985.

Tais fatos ficaram impunes em virtude de uma lei de anistia que indultou em 1979 todos os indivíduos envolvidos em crimes cometidos ao amparo do regime.

O elenco de "Zuzu..." traz ainda outras atrizes de reconhecida trajetória e grande popularidade na ilha. Entre elas as carismáticas Leandra Leal e Ângela Vieira, ambas do reparto de "Senhora do destino" e Regiane Alves, a Belinha de "Cabocla". Leandra Leal, que em meses passados visitou Cuba, como integrante da delegação brasileira ao Congresso "Cultura e Desenvolvimento", se tornou conhecida aqui graças à minissérie "A Muralha" de Maria Adelaide Amaral.

Por sua parte, o teatro Hubert de Blanc da capital cubana acolherá nesta terça-feira 05 de setembro a obra "O círculo de giz caucasiano" do dramaturgo Bertolt Brecht em versão da trupe brasileira Companhia do Latão, sob direção-geral de Sérgio Carvalho.

Já para novembro, coincidindo com a Semana de Consciência Negra no Brasil, se projeta um ciclo de cinema etnográfico auspiciado pela própria Embaixada e com roteiro da leitora de português para Cuba Ana Estela Cunha, que ofereceu esta informação em exclusiva para ACN.

Fonte
Agence Cubaine de Nouvelles

Agência Cubana de Notícias