Outra ideia era a de obrigar a determinados personagens a confessarem a verdade sobre os planos de guerra da NATO. Emprazava directamente ao senhor Aznar e pressionava a líderes norte-americanos para que admitissem abertamente a sua responsabilidade nas guerras do império. Mostrava provas documentadas, algumas inéditas.

Chegou a Cimeira Ibero-americana, e ali ardeu Tróia. O discurso adicional, invertebrado e inoportuno de Zapatero, a sua defesa de Aznar, a ordem abrupta do Rei da Espanha e a resposta digníssima do Presidente da Venezuela, que por causas técnicas nem sequer conseguiu ouvir o que o Rei disse, forneceram provas irrefutáveis das condutas e dos métodos genocidas do império, os seus cúmplices e as anestesiadas vítimas do Terceiro Mundo.

Naquele ambiente tenso brilhou a inteligência e a capacidade dialéctica de Chávez.

Uma frase de Aznar sintetiza a sua alma celestina. Quando Chávez lhe perguntou pela sorte que esperava no mundo neoliberal aos povos pobres como o de Haiti, aquele respondeu textualmente:

"Esses se lixaram".

Conheço bem o líder bolivariano: jamais esquece as frases que directamente escuta dos seus interlocutores.

Escrevi uma terceira reflexão sobre a Cimeira Ibero-americana que por enquanto não publico. Fiz esta outra na véspera da viagem que amanhã inicia o Presidente Chávez, rumo à Cimeira da OPEP, em Riad, Arábia Saudita.

Fonte
Agence Cubaine de Nouvelles

Agência Cubana de Notícias