De acordo com a Mesa Redonda da TV Cubana, no Haiti há destacados cerca de seis mil soldados americanos, um número que deve crescer para dez mil dentro dos próximos dias, o que causa grande rejeição em vários países e organizações internacionais.

O governo francês disse à ONU que este era momento para ajudar não para invadir o país em referência à posição norte-americana face à situação haitiana. Mesmo a União Européia, como bloco regional, encorajou a ONU a definir uma estratégia para a distribuição da ajuda humanitária comprometida pelos obstáculos criados por efetivos estadunidenses no aeroporto de Porto Príncipe.

Entretanto, o resto do mundo continua solidário com a nação caribenha, onde segundo cálculos conservadores já enterraram uns 80 mil defuntos, mas o número geral de vítimas beira as 200 mil.

Cuba enviou uns 300 especialistas da saúde para o Haiti, cujo trabalho já foi sublinhado pela mídia externa, incluindo a CNN.

Fonte
Agence Cubaine de Nouvelles

Agencia Cubana De Noticias