O novo secretario norte-americano da Defesa, Chuck Hagel, teve o seu primeiro encontro com um homólogo estrangeiro ao receber em Washington o israelita Ehud Barak.

Os dois ministros conhecem-se há uma dezena de anos e respeitam-se. O general Ehud Barack estava de passagem por Washington para participar na conferência anual do AIPAC [1] onde começou o seu discurso apressando-se a felicitar, em nome do povo de Israel, o novo chefe do Pentágono. O encontro foi para o Estado de Israel uma ocasião para tentar conseguir que se esquecesse a suja e inútil campanha, feita pelo grupo de pressão israelita, na tentativa de impedir que o Senado norte-americano confirmasse a nomeação de Chuck Hagel como cabeça do Pentágono.

O novo secretário da Defesa concordou que é necessário manter a superioridade qualitativa do armamento israelita e o apoio dos Estados Unidos ao sistema de defesa anti-misseis de Israel, conhecido como «Cúpula de Ferro», apesar das limitações orçamentais americanas.

Os dois ministros abordaram também os temas da Síria e do Irão.

- Hagel absteve-se de discutir sobre o futuro da Síria, limitando-se a sublinhar o perigo que representam para Israel as armas químicas sírias e, portanto, a necessidade de ajudar Bachar al-Assad a conservar o seu controlo.
- Hagel recordou a vontade dos Estados Unidos de impedir que o Irão obtenha a arma atómica. Indicou a este respeito que todas as opções estão em cima da mesa e que a janela diplomática está à beira de fechar.

Tradução
Alva

[1] American Israel Public Affairs Committee – (Comité Israelo-Americano de Relações Públicas, NdT)- ver artigo sobre E.Barak no AIPC, aqui no Voltairenet.org., sob o título :-Israel poderia definir unilateralmente fronteiras do Estado Palestiniano