25 de junho, 2014, o presidente de Israel, Shimon Peres, e o ministro das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, reuniram-se com o presidente Barack Obama e o secretário de Estado John Kerry para ultimar o acesso do Curdistão iraquiano à independência.

O primeiro-ministro Benyamin Netanyahou anunciou, pouco depois, que Israel apoiava a criação de um Estado curdo independente no norte do Iraque, durante um discurso no Instituto para Estudos de Segurança Nacional da Universidade de Telavive.

Apesar da denúncia do governo federal iraquiano de Nouri al-Maliki, o governo local do Curdistão iraquiano conseguiu exportar para Israel o petróleo roubado em Kirkuk [1]. O petróleo transitou por um oleoducto controlado pelo EIIL, e depois pelo porto turco de Ceyhan.

Tradução
Alva

[1] “Israel accepts first delivery of disputed Kurdish pipeline oil” (Ing-«Israel aceita primeiro fornecimento de petróleo pelo disputado oleoduto curdo»-ndT), por Julia Payne, Reuters, 20 de junho de 2014.