Contrariamente às suas declarações públicas, o Reino Unido e a França estão participar nos bombardeios da Coligação anti-Daesh na Síria.

Os dois estados europeus alegavam apenas estar envolvidos no Iraque. No entanto, um documento do Ministério da Defesa britânico, obtido pela associação Reprieve atesta o envolvimento das forças de Sua Majestade. Enquanto a intervenção do ministro da Defesa, Michael Fallon, em resposta às críticas da oposição na Câmara dos Comuns, não deixa nenhuma dúvida sobre a intervenção francesa.

Por seu lado, o porta-voz da Coligação (Coalizão-br) negou que o seu estado-maoir esteja em coordenação, directa ou indirecta, com o do Exército Árabe Sírio. Mas essa declaração, que visa manter a honra de Londres e Paris na sua oposição a Damasco, foi contariada pelo porta-voz do PYG (Curdos sírios). Segundo ele, a coordenação entre os dois estados-maiores é assegurada pela parte Curda síria, que previne Damasco dos planos de vôo da Coligação de modo a que os seus aviões possam circular sem ser abatidos.

JPEG - 53.7 kb
Caricatura publicada no "The Independent" a 20 de Julho de 2015.
Tradução
Alva

Documentos anexados