Rede Voltaire

Despertar da extrema-direita Turca na Suécia

+

Da esquerda para a direita, o Ministro (dos Verdes) da Habitação, Mehmet Kaplan, o vice-presidente da Federação dos Turcos da Suécia, Barbaros Leylani. No fim da mesa, Ilhan Senturk, o presidente dos Lobos Cinzentos na Suécia.

O Vice-presidente da Federação de trinta associações turcas da Suécia, Barbaros Leylani, apelou, aos seus membros, para o massacre dos arménios aquando de uma manifestação pública no centro de Estocolmo, a 9 de Abril de 2016, em apoio dos Azeris após os confrontos no Nagorno-Carabaque.

Neste vídeo (em turco), ele apela aos Turcos para se agirem acordar e insta os manifestantes a gritar : «Morte! Morte! Aos cães arménios».

O vídeo, tornado pública pelo quarto Canal, TV4 Nyheterna, levantou vivos protestos e forçou o Sr. Leylani a demitir-se.

Além disso, a 13 de Abril, foi difundida uma fotografia do Ministro (dos Verdes) da Habitação, Mehmet Kaplan, participando num jantar ao lado de Barbaros Leylani e Ilhan Senturk, um dirigente dos Lobos Cinzentos (ver acima).

Questionado pela imprensa, o Ministro respondeu ter representado os Verdes numa festa da comunidade Turca, ignorando a presença de Ilhan Senturk na mesma, e o seu papel no seio dos Lobos Cinzentos. No entanto, contrariando esta declaração, o jornal Aftonbladet mostrou que os Srs. Kaplan e Senturk se conheciam de há longa data.

Em Maio de 2010, Kaplan tinha participado na operação do IHH «Flotilha da Liberdade», em apoio aos habitantes de Gaza. O IHH é uma organização humanitária turca, controlada pela Irmandade Muçulmana. Dois relatórios da Inteligência Russa, ao Conselho de Segurança da ONU, atestam que o IHH serve de cobertura a um vasto tráfico de armas para os jiadistas da Al-Qaida e do Daesh(E.I.), na Síria e no Iraque.

Os «Lobos Cinzentos» são uma organização supremacista Turca, laica, ligada à OTAN. Em 1981, o número 2 desta organização, Mehmet Ali Agca, tentara assassinar o Papa João Paulo II para pôr um fim à Ostpolitik do Cardeal Casaroli.

O Presidente Recep Tayyip Erdoğan, antigo dirigente da Millî Gorüs, uma organização supremacista Turca e Islâmica, multiplica desde há vários meses as declarações inflamadas sobre a superioridade da etnia Turca, e negando o genocídio dos Cristãos Pônticos e dos Arménios. Ele anunciou, em Abril de 2016, a sua intenção de privar da nacionalidade 5 milhões de Turcos que apoiam o HDP(Partido das minorias), e 1 milhão de opositores sunitas que apoiam o seu antigo aliado, Fethullah Gülen.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.