Documento datado de 20 de junho de 2012

JPEG - 55 kb

República Árabe do Egipto
Comissão Eleitoral Presidencial
Secretariado-geral

Em nome de Deus, o Misericordioso

A Sua Excelência, o Sr. Marechal Mohammed Hussein Tantawi
Chefe do Conselho Supremo das Forças Armadas

Atenciosamente,

Esta é uma resposta escrita ao vosso pedido de mensagem verbal aos conselheiros, ao director, aos membros e ao secretário da Comissão Eleitoral Presidencial, que nós recebemos ontem, Quarta-feira 30 de Junho de 2012, do General Mamdouh Shahin, Adjunto do ministro da Defesa, encarregue dos Assuntos jurídicos e constitucionais, e membro do Conselho Supremo das Forças armadas.

O Comité gostaria de informá-lo do seguinte:

1- É impossível atrasar o anúncio dos resultados da eleição presidencial (por tempo indeterminado), devido aos protestos de rua generalizados.

Assim, nós, Comissão Eleitoral Presidencial, seu director e todos os seus membros, vemos a necessidade de fazer o melhor, e de tomar uma decisão útil ao país e aos seus cidadãos, mesmo que para tal sejamos forçados a violar a Lei, confirmando o Dr. Mohamed Morsi como presidente do Egipto, de maneira a prevenir um desfecho sangrento no País se proclamarmos a eleição do general Ahmed Shafiq.

2- Além disso, nós, a Comissão Eleitoral Presidencial, seu director e todos os seus membros, denunciamos todo o tipo de pressões, exercidas do interior e do exterior, e afirmamos que seria necessário revelar à opinião pública egípcia e internacional, os truques, as manipulações e falsificações que marcaram todo o processo eleitoral.

Além disso, nós, Comissão Eleitoral Presidencial, seu director e todos os seus membros, denunciamos as ameaças de morte que nos foram feitas, a nós próprios, e às nossas famílias.

Nós sublinhamos este segundo ponto, para o caso em que Vossa Excelência rejeitasse a nossa proposta mencionada acima no ponto 1.

O secretário da Comissão Eleitoral Presidencial
Hatem Bagato

Tradução
Alva

Este documento, revelado em 2013, atesta que a Comissão Eleitoral Presidencial —submetida a uma pressão fortíssima pelos Irmãos Muçulmanos— declarou Mohamed Morsi eleito para evitar a guerra civil e não baseando-se nas votações dos cidadãos.