Ao mesmo tempo que o antigo Primeiro-ministro trabalhista Ehud Barak apelou, a 16 de Junho, a derrubar o seu sucessor Benjamin Netanyahu por qualquer meio [1], o Partido Trabalhista confirma ter secretamente negociado os termos de um acordo de paz com a OLP. Este foi fixado numa troca de cartas entre Isaac Herzog e Mahmoud Abbas.

Este acordo —o primeiro jamais feito— poderá ser implementado após a queda do actual Primeiro-ministro e resolver 68 anos de conflito.

Ele prevê :
- A constituição de um Estado palestino em toda a Judeia e Samaria, mais Jerusalém leste;
- O retorno de alguns refugiados ;
- A divisão da velha cidade de Jerusalém cujo Muro ocidental seria israelita. E a criação de uma instância de coordenação municipal comum. (traduction = Tradução : - Alva.

Tradução
Alva

[1] “Ehud Barak acusa o governo de Netanyahu de instalar o apartheid”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 21 de Junho de 2016.