O Primeiro-ministro turco Binali Yıldırım, ao receber o jornalista Mustafa Karaalioglu, declarou que o seu governo teria exposto aos seus interlocutores iranianos uma abordagem da questão síria em três pontos:

- Manter a integridade territorial da Síria (o que significa impedir a criação de um novo Estado no Norte do país, na medida em que Ancara não mais controla os Curdos sírios, que se batem agora entre si);
- Prevenir o domínio de um grupo étnico ou de uma confissão religiosa (o que implica manter o Partido laico Baath e o Presidente el-Assad no poder); ;
- Organizar o retorno a casa dos refugiados sírios na Turquia (pelo menos uma parte deles, porque uma outra parte ---de confissão sunita e reputados opositores da República--- viu serem-lhe oferecidos apartamentos, especialmente construídos para eles na áreas turcas povoadas por Curdos). Este terceiro ponto não antecipa decisão similar do Líbano e da Jordânia, a qual depende apenas destes Estados.

Esta abordagem positiva é semelhante à que professava a Turquia no início das negociações de Genebra, mas que não correspondia então à sua atitude no terreno.

«Başbakan Binali Yıldırım Suriye’de çözümün yolunu Karar’a anlattı», Karar, 16 Ağustos 2016.