A França acolheu a 4ª Cimeira da Parceria para um Governo Aberto (Open Government Partnership), entre 7 a 9 de Dezembro de 2016. Participaram nela 70 Países.

Esta organização surgiu de uma grande reforma da administração Obama : — a Iniciativa para Governo Aberto (Open Government Initiative), lançada no primeiro dia do seu primeiro mandato, em 2009.

Aplicando os princípios do filósofo Karl Popper, promovidos pelas Fundações de George Soros, esta iniciativa visa:
- velar pela transparência dos governos democráticos ;
- levar os cidadãos a participar nas tomadas de decisão via ONGs —e não através dos Parlamentos—.

Outros dois objectivos foram adicionados aquando da criação da organização inter-governamental:
- lutar contra a corrupção —salvo quando ela é assumida por lóbis registados—;
- generalizar o uso de novas tecnologias.

A Open Government Partnership foi lançada pela secretária de Estado Hillary Clinton, em 2011. De acordo com os seus próprios princípios, esta organização inter-governamental associa numerosas ONGs tanto nos debates como na sua gestão. A presidência é actualmente detida pela França e pelo World Resources Institute. Este é uma associação norte-americana criada pelos Democratas visando promover o mercado da ecologia contornando a ONU. Foi através desta ONG que o antigo vice-presidente Al Gore popularizou a teoria da actividade humana como causa das alterações climáticas [1].

A Open Government Partnership é em primeiro lugar financiada por fundações empresariais (a Open Society de George Soros, a Omidyar Network, muito implicada no golpe de Estado ucraniano , a The William e Flora Hewlett Foundation, a Ford Foundation, tradicional parceira da CIA), e pelos seus Estados-membros.

Depois de cinco anos de existência, todos podem constatar que, contrariamente aos compromissos de B. Obama e aos seus decretos presidenciais, nunca os Estados Unidos nunca foram tão opacos, corruptos e, totalmente fechados. Ao contrário, os outros Estados-membros foram forçados a enfraquecer-se supostamente no interesse geral, na realidade no interesse exclusivo das «ONGs» e das Fundações empresariais credenciadas.

Tradução
Alva

[1] « 1982-1996 : L’écologie de marché », par Thierry Meyssan, Оdnako, Réseau Voltaire, 22 avril 2010.