O Google News Lab e o European Journalism Center (EJC) coordenam, desde 28 de Fevereiro de 2017, as empresas francesas e estrangeiras pelo período de duração da campanha eleitoral presidencial francesa.

Ambas as organizações contam com a experiência da ProPublica, a qual orientou os média (mídia-br) contra Donald Trump aquando da campanha eleitoral norte-americana.

Elas reunem não só os média mas, também, escolas que lhes fornecem «peritos».

As empresas que concluíram um acordo com o Google News Lab e o European Journalism Center (EJC), para o período de duração da campanha presidencial francesa, são:

AFP, Bellingcat, Bloomberg, Buzz Feed News, o Centro de formação de jornalistas, Centre France, Channel 4, a Escola de jornalismo de Sciences Po, a Escola pública de jornalismo de Tours, Euractiv, Euronews, Explicite, Facebook, Factoscope, France24-Les Observateurs, FranceTélévisions, Global Voices, International Business Times, L’Express, La Provence, La Voix du Nord, L’Avenir, LCI, Le Journal du dimanche, Le Monde, Le Télégramme, Les Décodeurs, Les Échos, Libération, London School of Economics, Mashable-France 24, Meedan, Nice-Matin, Ouest-France, Rue 89, StoryFul, Street Press, Sud-Ouest.

A título de exemplo: durante o período de transição, Buzz Feed News publicou uma peta afirmando que os serviços secretos russos detinham um dossiê um comprometedor contra o candidato Donald Trump. Moscovo estaria, pois, em posição de chantagear o Presidente dos Estados Unidos. Os parceiros da ProPublica retomaram em larga escala esta imputação «verificada», apesar dos protestos do presidente eleito. Ela mostrou ser, depois, puramente difamatória.

JPEG - 19.2 kb
Tradução
Alva