Neste momento em que o exército russo e o americano se estendem pelo Médio Oriente alargado, foram abertos, entre os mesmos, três canais de comunicação:

- 1. No Estado Maior das Forças Armadas dos Estados Unidos, o General Kenneth F. McKenzie Jr. (na foto), foi designado para lidar de urgência com todos os problemas que possam surgir entre os dois exércitos, nessa região.

- 2. Foi estabelecida uma linha de comunicação directa entre os responsáveis pelas operações de ambos os países, no Iraque e na Síria, a fim de coordenar os esforços conjuntos nas quatro zonas de não conflito, designadas pelos acordos em Astana. Estes acordos foram concluídos sob os auspícios do Irão, da Rússia e da Turquia, mas não foram reconhecidos oficialmente pelos Estados Unidos. Presume-se que há um outro acordo entre Moscovo e Washington, que será considerado secreto, sobre este assunto.

- 3. Acaba de ser instalada uma linha directa entre o comandante do Centcom, General Joseph Votel e o seu homólogo russo. Não se trata, neste caso, de lidar problemas tácticos, mas sim, estratégicos.

Este dispositivo marca uma revolução em relação aos hábitos das Forças Armadas americanas, que se opuseram sempre ao mesmo. É o resultado directo da nova estratégia incutida por Donald Trump.

Tradução
Maria Luísa de Vasconcellos