O Exército Árabe Sírio (quer dizer, o da República) alcançou a fronteira sírio-iraquiana.

No decurso dos últimos dois meses, as Forças da Coligação dos EUA bombardearam por três vezes milicianos ou militares leais a Damasco provavelmente para cortar a Rota da Seda e impedir a junção dos exércitos sírio e iraquiano.

O restabelecimento da via Damasco-Bagdade marcaria o fracasso da missão fixada pela anterior Administração Obama ao Daesh (E.I.), no início de 2014 [1].

O porta-voz do Pentágono, Jeff Davis, agradeceu à Rússia pela sua «acção estabilizadora» nesta área.

Tradução
Alva

[1] “Revelações do PKK sobre o ataque do EIIL e a criação do «Curdistão»”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 9 de Julho de 2014.