A maioria Republicana da Comissão Senatorial de Segurança da Pátria e dos Assuntos governamentais denuncia as consequências desastrosas das fugas de informação actuais sobre a Administração.

Este fenómeno, que era muito raro sob as presidências de George Bush Jr. e Barack Obama, desenvolveu-se subitamente contra a presidência de Donald Trump causando danos irreversíveis à Segurança nacional.

No decurso dos primeiros 126 dias da presidência Trump, 125 informações classificadas foram ilegalmente transmitidas a 18 órgãos de imprensa (principalmente CNN). Cerca de um por dia, ou seja, sete vezes mais do que durante o período equivalente dos 4 mandatos precedentes. A maioria destas fugas dizia respeito à investigação sobre possíveis ingerências russas durante a campanha eleitoral presidencial.

O Presidente da Comissão, Ron Johnson (Rep. de Wisconsin) (foto), questionou o Procurador-geral, Jeff Sessions.

A existência destas fugas repetidas leva a pensar num complô no seio da alta administração, da qual 98% dos funcionários votaram Clinton contra Trump.

Tradução
Alva

Documentos anexados