Um icebergue gigante, com uma área de 5800 km2, separou-se da Antártida entre 10 e 12 de Julho de 2017. Resultados similares tinham sido observados em 1995 e em 2002.

Segundo o The New York Times, esta notícia confirma a previsão do pesquisador norte-americano John H. Mercer, publicado na revista Nature em 1978, de que a calota de gelo (folha de gelo) vai desaparecer sob o efeito do aquecimento climático. Muitos média soaram o alarme após o Presidente Donald Trump ter retirado o seu país do Acordo de Paris sobre o clima.

O que o The New York Times não diz é que este evento nada tem de extraordinário: em 1956 um icebergue seis vezes maior foi observado separando-se da Antártida e em 1927 um outro icebergue quatro vezes maior. Não se dispõe de dados para os séculos anteriores.

Além disso, o Presidente Donald Trump retirou o seu país do Acordo de Paris exclusivamente porque ele se opõe ao sistema financeiro da Bolsa de Carbono [1]. A sua decisão, portanto, não diz respeito ao meio ambiente. A Bolsa de Carbono foi criada por David Blood (antigo director do banco Goldman Sachs) e Al Gore (antigo Vice-presidente dos Estados Unidos). Os seus estatutos foram redigidos por Barack Obama (futuro Presidente dos Estados Unidos).

Tradução
Alva

[1] «1997-2010 : L’écologie financière» («1997-2010 : A ecologia financeira»- ndT), par Thierry Meyssan, Оdnako (Russie) , Réseau Voltaire, 26 avril 2010.