Enquanto Mossul (Iraque) foi libertada e Rakka (Síria) o está em parte, dezenas de milhares de combatentes do Daesh (E.I.) foram mortos e dezenas de outros estão em fuga.

No entanto, este mês os salários dos combatentes foram pagos pelo Califado a 19. 000 soldados, repartidos da seguinte forma:
- 7.000 no Iraque;
- 12.000, na Síria.

O Daesh(EI) —que não é senão mais um grupo jiadista entre outros— reivindicava 40.000 combatentes aquando da sua conquista do Iraque e da Síria, em 2014. Então, havia recebido o apoio de 80.000 membros da Ordem dos Naqchbandis (principalmente de antigos soldados iraquianos da época do Presidente Saddam Hussein) e de 120.000 combatentes de tribos sunitas iraquianas. Ele dispunha, assim, de 240.000 combatentes aquando da proclamação do califado.

Tradução
Alva