O caso dos assassinos de Brabante foi relançado esta semana por artigos da Het Laatste Nieuws [1] e um programa de TV da televisão flamenga. O irmão de um gendarme de elite, Christian Bonkoffsky, declarou que ele lhe havia revelado, em seu leito de morte, ser um dos misteriosos assassinos. Enquanto um advogado de vítimas denunciou as falhas da investigação judicial.

Entre 1982 e 1985, na Bélgica e no norte da França, desconhecidos realizaram uma série de assaltos, sem móbil financeiro, matando 28 pessoas. Eles ficaram conhecidos como «Assassinos de Brabante» ou «Bando de Nivelles» (Bende van Nijvel). Os magistrados investigadores, o Ministro da Defesa e uma comissão de inquérito da Câmara de Deputados chocaram com o Segredo-de-Defesa da OTAN [2].

Durante os anos 80, a OTAN organizou uma série de atentados na Europa na base do modelo do que ela fez nos últimos anos com os jiadistas.

As autoridades, que levam essas revelações muito a sério, consideram que este antigo gendarme(policial) da unidade de elite Diane corresponde aos retratos robô da época. Verificações atestam que ele não estava fisicamente presente em seu trabalho durante os inúmeros ataques. A Justiça belga interroga todos os antigos colegas do suspeito falecido. A testemunha revelou igualmente que dois outros ex-membros do grupo Diane haviam vindo visitar o suspeito em sua casa.

Tradução
Alva

[1] «Vermassen denkt te weten wie achter Bende van Nijvel zit: “We moeten naar Staatsveiligheid van die tijd kijken”», «Onderzoek Bende van Nijvel in stroomversnelling: “Vaak uitgelachen, maar nu krijgen we toch gelijk”», Het Laatste Nieuws, 15 & 21 oktober 2017.

[2] « Les armées secrètes de l’Otan (X) : La guerre secrète en Belgique » («Os exércitos secretos da OTAN(X) : A guerra secreta na Bélgica»- ndT), par Daniele Ganser, Réseau Voltaire, 6 juin 2011.