De acordo com o New York Times, Israel e o Egito concluíram um acordo secreto após a destruição de um avião russo no Sinai, em Novembro de 2015 [1].

Os dois Estados colaboram contra o Daesh (E.I.) no Sinai. Em pouco mais de dois anos, a aviação de guerra israelita teria levado a cabo uma centena de ataques contra os jiadistas em território egípcio.

Este “furo” jornalístico do diário norte-americano visa reforçar a crença de que Israel sempre teria combatido os jiadistas, o que é falso.

Desde 1978, por conta dos Estados Unidos, Israel fornece armas aos Irmãos Muçulmanos. Tal foi o caso no Afeganistão contra os Soviéticos («Operação Ciclone»), na Bósnia-Herzegovina e no Kosovo. Tal foi também o caso na Síria («Operação Bom Vizinho»). Simultaneamente, tal como a Arábia Saudita em casa, Israel reprime duramente certas actividades da Irmandade no seu território ou em território palestino, nomeadamente no que concerne ao Hamas.

Estas revelações parecem anunciar uma mudança oficial da política de Israel em relação às organizações terroristas.

Tradução
Alva

[1] “Secret Alliance : Israel Carries Out Airstrikes in Egypt, With Cairo’s O.K.” («Aliança Secreta : Israel Leva a Cabo Ataques Aéreos no Egipto, com o O.K. do Cairo»- ndT), David D. Kirkpatrick, The New York Times, February 3, 2018.