A 10 de Março de 2018, às 21h30 (hora de Washington), o General Jim Mattis dava uma entrevista a jornalistas a bordo do avião que o conduzia a Omã. Antes mesmo que as perguntas lhe fossem colocadas, o Secretário de Defesa dos EUA comentou as declarações do Presidente Putin perante os parlamentares russos [1].

Segundo ele, estas tem origem na retórica da campanha eleitoral presidencial. As armas descritas por Vladimir Putin só estariam operacionais daqui a muito tempo, não modificando portanto o equilíbrio militar [2].

Respondendo à letra, a Federação da Rússia procedeu no dia seguinte a um disparo bem sucedido de um míssil Kinzhal.

A imprensa norte-americana os EUA dá conta dos dois acontecimentos, mas modifica, a propósito, a cronologia, sugerindo que o General Mattis comentava o disparo do míssil hipersónico e não que este disparo é que mostrava o desmentido às suas declarações.

Tradução
Alva

[1] “Press Gaggle En Route to Oman”, Press Operations, US Department of Defence, March 10, 2018.

[2] “O novo arsenal nuclear russo restabelece a bipolaridade do mundo”, Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 7 de Março de 2018.