Os Serviços Secretos turcos do MIT (Millî İstihbarat Teşkilatı) tentaram sequestrar um cidadão turco na Mongólia sem o conseguir.

Considerado pelo MIT como estando ligado ao pregador Fethullah Gülen, o professor Veysel Akçay foi raptado à entrada da sua escola por cinco membros dos Serviços Secretos turcos, depois transportado para o aeroporto de Ulan Bator onde um CL604 Challenger do Exército turco o aguardava.

Prevenida pelos colegas do professor, a polícia mongol interditou a descolagem (decolagem-br) do aparelho enquanto Veysel Akçay estivesse retido. Ele foi finalmente libertado após oito horas de negociações.

Durante o incidente, as autoridades turcas, incluindo o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Mevlüt Çavuşoğlu, negaram a acção dos seus Serviços Secretos.

O Vice primeiro-ministro turco, Bekir Bozdağ, tinha declarado, em Abril passado, que 80 cidadãos turcos haviam sido «empacotados» pelo MIT em 18 países diferentes [1]. Se sequestros, com a cumplicidade das autoridades locais, foram relatados na Ucrânia e no Gabão sem problemas, uma outra operação dera origem a um escândalo no Kosovo [2].

Tradução
Alva

[1] “Ancara «empacotou» 80 dos seus nacionais no estrangeiro”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 10 de Abril de 2018.

[2] “Erdoğan força o Primeiro-ministro kosovar a conservar o chefe dos seus Serviços Secretos”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 7 de Abril de 2018.