Rede Voltaire

Moscovo e Damasco acusam Londres, Paris e Washington de preparar um ataque químico

+

O contratorpedeiro USS The Sullivans (DDG-68), da Marinha dos EUA, com 56 mísseis de cruzeiro a bordo, foi pré-posicionado no Golfo Pérsico. Simultaneamente, um bombardeiro estratégico B-1B da Força Aérea dos EUA, equipado com 24 mísseis de cruzeiro AGM-158 JASSM, chegou à Base Aérea de Al-Udeid, no Catar.

A 29 de Agosto, o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, apelou a todas as partes envolvidas na Síria para que se contivessem.

A 30 de Agosto de 2018, o Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, e o seu colega sírio, Walid al-Muallem, acusaram, durante uma conferência de imprensa (coletiva-br) conjunta, o MI6 britânico de preparar um ataque químico na Síria afim de justificar um ataque de represália a este país pelos Ocidentais.

Lavrov precisou que este ataque seria organizado através dos Capacetes Brancos, uma ONG criada pelo MI6 e que já participou inúmeras vezes nos combates.

Al-Muallem indicou que os Capacetes Brancos acabavam de sequestrar 44 crianças na província de Idlib para as sacrificar durante a operação. Especialistas anglófonos da empresa britânica «Olive» chegaram a Kafr Zita para supervisionar a encenação.

Em Moscovo (Moscou-br), Alexei Tsygankov, Chefe do Centro Russo de Reconciliação de Conflitos, afirmou que os Capacetes Brancos acabavam de transportar substâncias tóxicas para Saraqib.

Em Moscovo, a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Maria Zakharova, aclarou que, no quadro desta operação, o MI6 tinha acabado de criar uma conta Twitter em nome de uma garota fictícia, Hala, encarregue de dar notícia em directo do ataque químico e atribuí-lo ao governo sírio.

Em Washington, o Embaixador russo, Anatoly Antonov, alertou a Administração (dos EUA- ndT) contra qualquer participação nessa operação de falsa-bandeira.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

O Curdistão, imaginado pelo colonialismo francês
O Curdistão, imaginado pelo colonialismo francês
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (2/3)
 
A genealogia da questão curda
A genealogia da questão curda
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (1/3)
 

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.

O Curdistão, imaginado pelo colonialismo francês
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (2/3)
O Curdistão, imaginado pelo colonialismo francês
Thierry Meyssan
A genealogia da questão curda
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (1/3)
A genealogia da questão curda
Thierry Meyssan
A NATO por trás do ataque turco à Síria
A NATO por trás do ataque turco à Síria
Manlio Dinucci, Rede Voltaire
 
O F-35 na agenda secreta de Pompeo em Roma
«A Arte da Guerra»
O F-35 na agenda secreta de Pompeo em Roma
Manlio Dinucci, Rede Voltaire
 
O 70º Aniversário da República Popular da China: A Anulação da História
«A arte da guerra»
O 70º Aniversário da República Popular da China: A Anulação da História
Manlio Dinucci, Rede Voltaire
 
Alexandrópolis, a nova base USA contra a Rússia
«A arte da guerra»
Alexandrópolis, a nova base USA contra a Rússia
Manlio Dinucci, Rede Voltaire