O novo Embaixador dos EUA em Atenas, Geoffrey R. Pyatt, que organizou em conjunto com Victoria Nuland o golpe de Estado em Kiev, em 2014 [1], dedica-se agora à criação de uma Igreja Ortodoxa independente na Ucrânia.

A Igreja Ortodoxa está organizada em 7 patriarcados, entre os quais o de Constantinopla é o «primeiro entre iguais». O Patriarca ecuménico de Constantinopla, Bartolomeu I, não tem praticamente fieis na Turquia, mas vela pela diáspora grega no mundo. O de Moscovo, Cirilo I, vela pelo conjunto dos Russos aí incluídos os Ucranianos.

A separação dos ortodoxos ucranianos do Patriarcado de Moscovo seria um golpe duro para a cultura russa nesse país.

Desde o mês de maio de 2018, Bartolomeu I não emite deixou vistos aos padres ortodoxos do Patriarcado de Moscovo desejando ir ao Monte Athos.

A 31 de Julho de 2018, Bartolomeu I assinou uma declaração conjunta com os líderes de religiões minoritárias na Turquia garantindo que este país é maravilhoso e que as religiões aí floresçem, mesmo que no passado tal nem sempre tenha sido o caso [2]. Este texto despertou a ira dos fiéis das diferentes religiões que suportam todos os dias as intimidações e as humilhações da administração turca.

A 31 de Agosto, Cirilo e Bartolomeu encontraram-se de maneira amigável em Istambul. Mas a 6 de Setembro, o Patriarca de Constantinopla nomeou dois exarcas (enviados especiais) encarregados de criar uma igreja independente na Ucrânia. Os responsáveis da igreja canónica de Kiev recusaram reconhecê-los.

Por seu lado Filareto de Kiev, antigo agente do KGB que foi desmascarado e excomungado à queda da União Soviética, criou uma seita, a «Igreja Ortodoxa Autocéfala Ucraniana» (não-canónica). Tornou-se um dos apoios dos putschistas de Kiev e qualificou o Presidente russo, Vladimir Putin, como «Caim» e «Judas». Hoje em dia, ele vê-se como chefe da Igreja Independente que poderia ser reconhecida por Bartolomeu.

Filareto dirigiu-se aos Estados Unidos a 14 de Setembro de 2018. Foi recebido no Departamento de Estado com os dois exarcas (enviados especiais) de Bartolomeu I, que tinham acabado de se encontrar com o Presidente Petro Poroshenko, em Kiev. Ele foi igualmente recebido pelo antigo Vice-presidente Joe Biden, com quem mantém, desde 2014, relações estreitas. O filho deste último, R. Hunter Biden, senta-se hoje em dia no conselho de administração da Burisma Holdings, a primeira companhia de exploração de gás ucraniana. Philareto entregou a Joe Biden a Ordem de São Vladimir, tal como já tinha feito com o Senador John McCain.

Também um antigo diferendo sobre a Igreja Ortodoxa da Macedónia está em vias de ser revivido, mas de forma inversa: desta vez o Patriarcado de Constantinopla recusa-se a reconhecê-lo enquanto ele usar a denominação de Macedónia (que a Grécia considera com seu exclusivo).

Cirilo reuniu um Sínodo especial em Moscovo. A 14 de Setembro, a Igreja Ortodoxa russa decidiu retirar da liturgia o Patriarca de Constantinopla. Ou seja, não mais orar por ele. E «suspender» toda a «concelebração» conjunta com ele, finalmente, «romper» todas as relações de trabalho nas instâncias em que tomam assento conjuntamente.

A 19 de Setembro, o Patriarca de Alexandria e toda a África, Teodoro II, apelou as duas à razão. Mas, é possível o surgir de um cisma.

Tradução
Alva

[1] « Conversation entre l’assistante du secrétaire d’État et l’ambassadeur US en Ukraine », par Andrey Fomin, Oriental Review (Russie), Réseau Voltaire, 7 février 2014.

[2] “A Turquia força as Igrejas judaicas e cristãs turcas a assinar uma declaração”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 17 de Agosto de 2018.