A sessão de 2018 da Future Investment Initiative abriu, a 23 de Outubro de 2018, em Riade. Esta conferência, criada em 2017, estava destinada a tornar-se anual. No entanto a maioria dos oradores e patrocinadores estrangeiros retirou-se da organização após o assassinato de Jamal Khashoggi.

A Future Investment Initiative gabava-se de ser a «Davos do Deserto». Durante a sessão de 2017, o Príncipe herdeiro Mohamed Ben Salmane, (dito «MBS»), apresentou o projecto Neom: a criação de um paraíso fiscal no Mar Vermelho para a elite do planeta. Ele havia anunciado, igualmente, um futuro abandono do wahabismo [1].

Durante o ano passado, o projecto Neom foi confiado a Klaus Kleinfeld, um dos administradores do Grupo de Bilderberg. Foi estendido à margem ocidental do Mar Vermelho com a ajuda do Egipto. Israel deveria garantir a segurança.

Entretanto, nenhum sinal de abandono do wahabismo foi tornado público. Quando muito, as mulheres viram ser-lhes concedido o direito de conduzir (dirigir-br) carros, mas sempre em presença do seu tutor legal.

A retirada dos principais patrocinadores e oradores da conferência parece corresponder a um afastamento próximo de MBS pelos Ocidentais.

O Conselho de família restrito dos Saud tem-se reunido secretamente desde há alguns dias para rever (revisar-br), uma outra vez, a regra de sucessão ao trono.

Tradução
Alva

[1] “A Arábia Saudita poderia abandonar o wahhabismo”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 30 de Outubro de 2017.