De acordo com o 12º canal de televisão israelense, o Irã (Irão-pt) teria construído uma usina (fábrica-pt) de mísseis de precisão em Safita, distrito de Latáquia, na Síria.

A imprensa israelense (israelita-pt) supõe que esses mísseis —se a informação for precisa— sejam destinados à Resistência Libanesa, que os usaria para ameaçar Telavive (que vem atacando repetidamente o Líbano e continua violando seu espaço aéreo e marítimo quotidianamente).

Essa notícia surge quando os Guardas Revolucionários iranianos anunciaram dispor agora de mísseis de cruzeiro Hoveizeh, de um alcance de 1.350 km.

De acordo com o Anexo B da Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU, o Irã não deve conduzir nenhuma «atividade ligada aos mísseis balísticos projetados para poder transportar ogivas nucleares, incluindo o uso de fogo recorrendo à tecnologia de mísseis balísticos». Os Ocidentais interpretam este texto como proibindo o desenho de qualquer míssil balístico, enquanto o Irã e inúmeros Estados acham que, em seu contexto, esta frase não é sobre mísseis em geral, mas sobre o uso de mísseis como vetores (vectores-pt) de ogivas nucleares [1].

Tradução
Alva

[1] «Les tirs balistiques iraniens ne violent pas la résolution 2231», par Eshag Al Habib, Réseau Voltaire, 14 janvier 2019.