Rede Voltaire

Zirkon e Avangard: a última mensagem de Putin aos Serviços de Inteligência dos EUA

No seu último discurso perante a Assembleia Federal, o Presidente Vladimir Putin parece ter evocado a possibilidade de modificar o míssil hipersónico Zirkon antes que os sistemas Avangard entrem em serviço. A Rússia iria estar assim, a grande custo, em posição de superioridade face aos Estados Unidos.

| Bucareste (Roménia)
+
JPEG - 29.7 kb
3M22 Zircon

O míssil hipersónico Zirkon, assim como o sistema Avangard, foram mencionados pelo Presidente Vladimir Putin no seu discurso de 20 de Fevereiro [1]. Aí, ele advertiu igualmente que, se os Estados Unidos colocassem mísseis de médio alcance na Europa, a Rússia definiria como alvos não apenas as instalações de lançamento, mas também os seus centros de comando. Alguns de entre eles estão no continente americano.

Já estamos habituamos ao facto de que a associação de certos termos nos discursos de Vladimir Putin não é uma coincidência; e que eles têm um substrato conhecido pelos Serviços de Inteligência dos EUA.

A única arma que pode atingir os Estados Unidos, a partir da Rússia, para a qual o Pentágono não tem antídoto, é a Avangard. Mas a Rússia só terá em serviço operacional dois sistemas Avangard e apenas para o fim de 2019.

Na ausência de Avangards, a Zirkon tem um enorme potencial de modernização e adaptação, o que os Estados Unidos mais temem. Suponho que um Zirkon com um raio de acção aumentado se torne um Avangard mais pequeno podendo atingir o território norte-americano.

Eu penso que o Presidente Putin gostaria fazer os americanos saber que a Zirkon, com a sua enorme velocidade, poderia tornar-se no seu pesadelo após a sua saída unilateral do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio (INF).

O motor Scramjet (ramjet) da Zirkon pode aumentar 5 vezes a quantidade de combustível inicial, o que permitiria arranques e paragens repetidas.

Desta maneira, ele regressa várias vezes à altitude e velocidade de cruzeiro iniciais e atinge um raio de acção de mais de 6.000 km. Devemos notar que a massa do motor Scramjet e do seu carburante (hidrogénio líquido) perfaz 500 a 600 kg.

A densidade ideal da atmosfera é aquela em que a resistência ao atrito é tão pequena quanto possível. Assim, o motor Scramjet funcionará a uma altitude de cruzeiro de 50 a 60 km. Para atingir esta altitude, a Zirkon terá necessidade de um motor propulsor de foguete mais potente do que aquele que tem actualmente.

Uma variante seria o de um míssil russo similar RSD-10 (15Zh45) que asseguraria o lançamento simultâneo de 2 a 4 sistemas Zirkon a uma altitude de 60 km. O RD-10 tem uma trajetória balística, enquanto o novo Zirkon, com seus saltos hipersónicos, torna impossível a previsão dos seus parâmetros de trajectória pelo Pentágono.

Tradução
Alva

[1] “Excerto do Vladimir Putin Discurso na Assembleia Federal Russa”, Vladimir Putin, Tradução Maria Luísa de Vasconcellos, Rede Voltaire, 20 de Fevereiro de 2019.

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.