Rede Voltaire

Segundo Kurdistan24, um administrador do Daesh confessou o uso de morteiros de cloro

+

Um tribunal iraquiano condenou à morte por enforcamento o belga Bilal Abdul-Aziz al-Marshouhi (dito «Abu Fadhil al-Belgiki») pela sua pertença ao Daesh(E.I.).

«Eu nasci na Bélgica e tenho nacionalidade belga, apesar das minhas origens marroquinas (...) estudei engenharia na Universidade de Antuérpia. Tornei-me jiadista depois de ficar amigo de alguém que lia livros que apelavam a um islão radical», explicou ele.

Acusado de ter montado um site pornográfico, deixou a Frente Al-Nusra (Alcaida) depois de ter sido treinado no manejo de armas por ela. A seguir, juntou-se ao Daesh(EI) onde, primeiro, serviu na polícia (militar, criminal e de costumes) do Estado Islâmico em Alepo e, por fim, na administração geral na capital (Raqqa).

De acordo com o canal de televisão Kurdistan24, ele afirmou durante uma audiência que o seu grupo fazia uso de armas químicas, nomeadamente de morteiros de cloro, no distrito de Raqqa e num campo [1].

As Nações Unidas foram chamadas a intervir a respeito de 216 supostos ataques químicos na Síria. A República Árabe Síria e a Rússia acusaram os jiadistas, enquanto os Ocidentais atiravam a responsabilidade dos mesmos para o «regime de Bashar». Os inspetores da OPAQ (OPCW) confirmaram vários desses ataques sem poder determinar os autores. No entanto, o seu último relatório sobre o caso de Duma isenta de facto as autoridades de Damasco.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

A invasão turca do Rojava
A invasão turca do Rojava
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (3/3)
 
O Curdistão, imaginado pelo colonialismo francês
O Curdistão, imaginado pelo colonialismo francês
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (2/3)
 

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.

A invasão turca do Rojava
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (3/3)
A invasão turca do Rojava
Thierry Meyssan
O Curdistão, imaginado pelo colonialismo francês
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (2/3)
O Curdistão, imaginado pelo colonialismo francês
Thierry Meyssan
A genealogia da questão curda
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (1/3)
A genealogia da questão curda
Thierry Meyssan