Rede Voltaire

O exército Turco e a milícia de Misrata massacram os apoiantes do Marechal Haftar

+

O exército turco transportou para a Líbia jiadistas desde a Síria, seguido de assessores e equipamentos militares, nomeadamente veículos blindados e drones.

Ele enquadrou o ataque das milícias do Governo de Unidade Nacional de Trípoli, liderado por Fayez el-Sarraj, isto é, o governo escolhido pela ONU.

Este se apoia na Irmandade Muçulmana, no Catar e na Turquia, a qual colocou à disposição da OTAN em 2011 a milícia Misrata; uma cidade dominada por famílias de antigos soldados otomanos, muitas vezes Circassianos ou judeus convertidos ao Islã (Islão-pt), que se estabeleceram na Líbia no século XIX.

Esta milícia e o exército turco atacaram a cidade berbere de Gharyan, fiel ao Parlamento de Tobruk. Aí, eles se dedicaram a atrocidades terríveis contra as famílias dos soldados do Marechal Khalifa Haftar. Esta é a mesma milícia que já havia cometido atrocidades em massa contra a população negra de Tawarga, em 2011.

Esta é a primeira derrota notável do Marechal Haftar, apoiado pela França e pela Rússia.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.