Rede Voltaire

Recuo da religião muçulmana no mundo árabe

+

O Barómetro Árabe publicou, em 24 de Junho de 2019, uma sondagem (pesquisa-br) junto de 25.000 árabes, repartidos por 12 países [1]. É a quarta vez, desde 2006, que ele procede a este estudo de opinião.

O mais impressionante é o declínio da filiação religiosa. Desde as «Primaveras Árabes», o número de pessoas que se declaram «não religiosas» passou de 8 para 13%. Ele atinge mesmo 18% nos menores de 30 anos.

Esta evolução marca o falhanço dos Imãs face aos Irmãos Muçulmanos e ao jiadismo: ao declarar que iam explicar o «verdadeiro Islão» para conter o «Islão político», fizeram fugir uma parte da juventude.

Se os Imãs continuarem a recusar discutir o que eles apreenderam da sua religião, esta não cessará de recuar. Com efeito, agem exactamente como aqueles que querem contradizer: pretendem saber tudo e não toleram que se levante a mínima observação.

Como é que se chegou aqui ? Lembremos que Maomé foi educado por judeu-cristãos, que ele sempre protegeu, que bebia álcool e que ele jamais pediu a uma mulher que se cobrisse com véu.

Tradução
Alva

[1] “The Arab world in seven charts : Are Arabs turning their backs on religion ?” («O mundo Árabe em sete tabelas : Estão os Árabes a virar as costas à religião ?»- ndT), BBC News, June 24, 2019.

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.