Os Presidentes Donald Trump e Nicolas Maduro confirmaram, um e outro, em 20 de Agosto de 2019 a existência de contatos de alto nível entre os Estados Unidos e a Venezuela.

A agência Associated Press insinuara que o Presidente da Assembleia Constituinte, Diosdado Cabello, teria ido aos EUA para negociar. Esta informação parecia tanto mais fantasiosa porque Washington o acusa de tráfico de drogas e emitiu um mandado de prisão contra ele. Sua formulação levava a pensar que o número 2 do partido no Poder fazia um duplo jogo contra o Presidente Maduro para se salvar a si próprio.

Qualificando este estranho despacho de «mentira» e de «manipulação», Diosdado Cabello desmentiu parcialmente a Associated Press e indicou que o que ele fazia seguia três condições:
- ter a autorização do Presidente constitucional Nicolas Maduro;
- não falar de seu destino pessoal, mas envolver os dois Estados;
- e se realizar em solo venezuelano.

Uma primeira reunião teria sido realizada em Julho, em Caracas. Estes contatos são distintos das negociações governo-oposição em Barbados.

Tradução
Alva