Segundo o Middle East Eye, o Príncipe reinante de Abu Dhabi, Mohammed bin Zayed, decidiu apoiar a libertação da província de Idleb (Síria) ocupada por jiadistas e pelo exército turco [1]. Ele ofereceu US $ 3 bilhões (mil milhões-pt) para apoiar o Exército sírio.

A Rússia utilizou a Turquia a fim de organizar a retirada dos jiadistas para Idleb. Ela atingiu seus objetivos estratégicos libertando Damasco e Alepo, depois desenvolvendo a base militar naval de Tartus.

Em Janeiro e Fevereiro, a Turquia transferiu mais de 5. 000 jiadistas de Idleb para combater os Emirados na Líbia.

Em 5 de Março, a Rússia e a Turquia assinaram um acordo —jamais implementado— . de cessar-fogo. Sem levar em conta, a Síria, apoiada pelos Emirados, prosseguiu a libertação do seu território antes de ser chamada a cessar-fogo pelo Ministro da Defesa russo, Sergei Choigou, vindo especialmente ao encontro do Presidente al-Assad, em Damasco, em 23 de Março.

Tendo os Emirados entregado já US $ 250 milhões de dólares por duas vezes, o Príncipe Mohammed bin Zayed telefonou ao Presidente sírio, em 27 de Março, aceitando utilizar esse dinheiro não para expulsar os Turcos da Síria, mas para combater o coronavírus.

Tradução
Alva

[1] “Memorandum on Providing COVID-19 Assistance to the Italian Republic”, Donald Trump, Voltaire Network, April 10, 2020.