O Professor Neil Ferguson demitiu-se do Scientific Advisory Group for Emergencies – SAGE (Conselho Científico Consultivo para as Emergências) britânico.

O SAGE é um organismo dependente do Comité COBRA (Cabinet Office Briefing Rooms), encarregue da Segurança Nacional do Reino Unido.

Desde há uma vintena de anos que o Professor Ferguson assessora os governos britânicos. Foi ele quem, em 2001, aconselhara o Primeiro-Ministro, Tony Blair, a abater seis milhões de cabeças de gado por temor da febre aftosa; uma medida que custou 10 mil milhões (bilhões-br) de libras à agricultura britânica e marcou o fim da sua criação de gado bovino [1].

O Professor Ferguson não de cessou de profetizar todo o tipo de calamidades, entre as quais 550. 000 mortes por Covid-19 no Reino Unido se um confinamento geral obrigatório e distâncias sociais não fossem implementadas. Estas medidas jamais foram testadas em epidemias precedentes. Em França, ele conseguiu convencer o Presidente Emmanuel Macron a adoptar este plano de emergência sanitária.

O Professor Ferguson não é médico, mas, sim um estatístico.

Ele demitiu-se depois de o Daily Telegraph ter revelado que não aplicava a si próprio as regras que havia imposto ao país. Recebia a sua namoradinha, em sua casa, em pleno confinamento.

Tradução
Alva

[1] “Covid-19 : Neil Ferguson, o Lyssenko liberal”, Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 20 de Abril de 2020.