Um funcionário da unidade KM4 (encarregado da protecção de infraestruturas) do Ministério alemão do Interior fez chegar, em 9 de Maio de 2020, à revista liberal-conservadora Tichys Einblick um documento interno contestando a gestão da epidemia de Covid -19. O Ministério denunciou imediatamente a fuga de informação (vazamento-br) como não expressando mais que a opinião de um funcionário —Stephen Kohn, para não o nomear— e não a do governo.

Pouco depois, as personalidades civis [1] que haviam participado na redacção deste relatório reiteraram as suas críticas publicamente em relação à gestão governamental da epidemia.

O documento contesta a perigosidade do Covid-19. Ele sublinha que as estimativas dos seus estragos eram fantasiosas e que matou menos que a gripe 2017-18. Ele avisa para as consequências desastrosas das medidas do confinamento obrigatório.

Tradução
Alva

Documentos anexados


KM 4 – 51000/29#2 - KM4 Analyse des Krisenmanagements (Kurzfassung)

Bundesministerium des Innern, für Bau und Heimat


(PDF - 2.3 Mb)

[1] Prof. Dr. Sucharit Bhakdi, Dr. med. Gunter Frank, Prof. Dr. phil. Dr. rer. pol. Dipl.-Soz. Dr. Gunnar Heinsohn, Prof. Dr. Stefan W. Hockertz, Prof. Dr. Dr. rer. nat. Andreas S. Lübbe, Prof. Dr. Karina Reiß, Prof. Dr. Peter Schirmacher, Prof. Dr. Andreas Sönnichsen, Dr. med. Til Uebel, Prof. Dr. Dr. phil. Harald Walach.