Segundo a Comissão Permanente de Inteligência da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, os Serviços Secretos chineses são agora mais eficazes do que os dos Estados Unidos nos planos estratégicos, políticos e militares (salvo no Médio-Oriente).

Com efeito, desde há 30 anos, os EUA primeiro acreditaram que o desaparecimento da URSS os deixaria sem competidor, depois reconstituíram os seus Serviços de Inteligência orientando-os para a destruição de estruturas estatais do Médio-Oriente (estratégia Rumsfeld/Cebrowski), deixando a China assumir a supremacia em todos os outros domínios.

Após dois anos de investigação, a Comissão ficou claramente estupefacta com a baixa qualitativa dos Estados Unidos.

Ela recomenda a dotação de meios por concertação bipartidária necessários para reformar a arquitectura dos serviços de segurança criados em 1947 e reorientar a Inteligência dos Estados Unidos. Um esforço imediato deve ser feito para envolver especialistas sobre a China e para melhor compreender para onde Pequim quer ir.

Tradução
Alva

Documentos anexados