JPEG - 34.2 kb

Na sequência de 44 dias de guerra, a Arménia foi forçada a assinar um cessar-fogo com o Azerbaijão, reconhecendo assim a perda de uma parte dos seus territórios. Todavia, tal como havíamos relatado sob a forma de uma interrogação, o plano inicial dos Estados Unidos previa pressionar a Turquia ao erro, deixá-la massacrar uma parte da população arménia, depois intervir, derrubar o Presidente Erdoğan e restabelecer a paz [1].

Ora, este plano não funcionou. Ele mascarava um estratagema britânico. Por trás da cortina, Londres aproveitou-se da confusão da eleição presidencial dos EUA para ultrapassar Washington. Ela utilizou a situação para tentar privar a Rússia da carta do Alto Carabaque (ou Nagorno-Karabakh, ndT) e retomar o «Grande Jogo» do Século XIX [2]. À época, fora aliada do império otomano face ao império czarista. Agora, quando Moscovo (Moscou-br) se apercebeu disso, impôs um cessar-fogo para interromper a jogada do massacre.

1- O « Grande Jogo »

Durante todo o século XIX, os impérios britânico e russo enfrentaram-se com uma rivalidade encarniçada a fim de controlar o Cáucaso e toda a Ásia Central. Este episódio é conhecido em Inglaterra sob o nome de o « Grande Jogo » e na Rússia sob o de « Torneio das Sombras ».

A Rússia começou a ganhar a partida assim que se apoderou do Alto Carabaque. Por efeito de dominó, ela estendeu então o seu domínio sobre o Cáucaso.

Em vista deste precedente histórico, Londres pensa, hoje em dia, que recuperar o Alto Carabaque lhe poderá permitir sabotar a influência de Moscovo no Cáucaso, depois em toda a Ásia Central.

O actual Primeiro-Ministro britânico, Boris Johnson, vê-se como continuador da política imperial de Winston Churchill, de quem é biografo. Ele acaba de tornar público um caro plano de modernização dos seus exércitos [3].

Para relançar o «Grande Jogo», nomeou, em 29 de Julho de 2020, o Director-Geral do Foreign Office (Ministério dos Negócios Estrangeiros- ndT), Richard Moore, Director do MI6 (Serviços Secretos externos). Antes, este havia já servido como embaixador de Sua Majestade em Ancara, fala fluentemente turco e travou amizade com o Presidente Recep Tayyip Erdoğan. Ele assumiu as suas novas funções apenas em 1 de Outubro, ou seja, quatro dias após o ataque azeri ao Alto Carabaque.

2- O papel charneira de Richard Moore

Richard Moore é um amigo pessoal do Príncipe Carlos, ele próprio patrão do Centro de Oxford para os Estudos Islâmicos (Oxford Centre for Islamic Studies) onde são formados os intelectuais da Confraria dos Irmãos Muçulmanos desde há vinte e cinco anos. O antigo presidente turco, Abdullah Gül, é igualmente administrador deste centro.

Enquanto embaixador em Ancara (2014-17), Richard Moore seguiu o Presidente Erdoğan ao tornar-se protector da Confraria.

Ele jogou igualmente um papel na retirada dos Britânicos da guerra contra a Síria, em 2014. Londres não entendia prosseguir num conflito no qual se tinha envolvido com propósitos coloniais, mas que se transformara numa operação imperial dos EUA (estratégia Rumsfeld/Cebrowski).

Richard Moore acaba de empreender uma tournée no Egipto e na Turquia. Em 9 de Novembro (dia da imposição russa de um cessar-fogo no Carabaque) ele estava no Cairo, para aí se encontrar com o Presidente al-Sissi, e em 11 em Ancara. Oficialmente, não teria tido audiência com o seu velho amigo, o Presidente Erdoğan, apenas se teria encontrado no Palácio Branco com o seu porta-voz.

3- Face aos Estados, Soros não conta

Na guerra azeri-turca do Alto Carabaque, Washington acreditava poder contar com o Presidente Armen Sarkissian e o Primeiro-Ministro arménio, Nikol Pashinyan, um dos homens de George Soros [4], enquanto engodos.

George Soros é um especulador norte-americano que tem a sua própria agenda política, mas trabalha em concerto com a CIA [5]. Por desgraça, os Britânicos não têm a mesma relação com Soros: ele deve sua fortuna a uma grande operação contra a libra esterlina (a quarta-feira negra, de 16 de setembro de 1992), daí o seu apelido de « o homem que rebentou o Banco de Inglaterra».

4- O jogo duplo da « Pérfida Albion »

Portanto, Londres deixou primeiro Washington avançar. Os Norte-Americanos encorajaram a « Nação dos dois Estados » (Turquia e Azerbaijão) a acabar pela força com a República de Artsakh.

O MI6 ajuda o seu parceiro turco a transferir jiadistas para o Azerbaijão [6], não para matar Arménios, mas sim Russos. Ora, ainda não há Russos no Carabaque.

Soros reagiu enviando para lá mercenários curdos para apoiar o campo arménio [7].

Fingindo jogar o jogo dos EUA, Londres apoiou Baku e Ancara. Durante os primeiros dias, as três potências do Grupo de Minsk (encarregado do conflito do Alto Carabaque desde a dissolução da URSS) —quer dizer, os Estados Unidos, a França e a Rússia— tentam, as três, obter uma paragem dos combates e a retoma de negociações [8]. Quando cada uma delas constata, sucessivamente, a má-fé azeri, apresentam uma Proposta de Resolução ao Conselho de Segurança. Trata-se para Washington de operar de maneira conjunta uma reviravolta, indo da neutralidade para a condenação da «Nação dos dois Estados».

Nos primeiros dias, os Arménios defendem-se como podem. No entanto, o Chefe de Estado, Armen Sarkissian, modifica os planos do Estado-Maior militar e manda enviar para a frente (front-br) voluntários sem experiência. [9]. Sarkissian tem dupla nacionalidade arménio-britânica. Segue-se a hecatombe entre o exército arménio.

Subitamente, o Reino Unido anuncia que oporá o seu veto se esse texto for submetido a votação. Chocados, os Estados Unidos acusam publicamente o Azerbaijão de má-fé, em 25 de Outubro.

Mas será preciso esperar ainda duas semanas para que a Rússia perceba que Washington, enredado na sua campanha eleitoral presidencial, já não dá atenção a este dossier.

5- A Rússia apita para o fim do jogo antes que fosse tarde de mais

Apenas por volta de 6 de Outubro é que a Rússia teve certeza da existência de uma armadilha inglesa dentro da armadilha americana. Ela não levou muito a concluir que Londres relançara o «Grande Jogo» e se aprestava a roubar-lhe a sua influência no Alto Carabaque.

Em 7 de Outubro, o Presidente russo, Vladimir Putin, telefonou ao seu homólogo turco. Negoceia com ele um cessar-fogo muito desfavorável aos Arménios. Erdoğan, que compreendeu que não resistirá a uma estabilização da situação política nos Estados Unidos, aceita ficar a ganhar apenas território e renuncia a relançar o genocídio arménio. O Presidente Putin convoca então o seu homólogo azeri Ilham Aliev, e o Primeiro-Ministro arménio, Nikol Pashinian, ao Kremlin. Ele salva aquilo que ainda pode ser salvo, obrigando os seus interlocutores, no dia 10 de Outubro, a assinar um cessar-fogo nos termos negociados com Erdoğan [10]. As suas prioridades são as de estabelecer a presença militar russa através de uma força de paz, depois de parar o banho de sangue. Dirige-se então ao povo russo para lhe anunciar ter salvo os interesses do seu país ao salvar a Arménia de uma derrota ainda mais terrível.

Os Arménios percebem, muitíssimo tarde, que ao afastá-los da Rússia em favor dos EUA, Nikol Pashinian apostou no cavalo errado. Eles compreendem retrospectivamente que por mais corrupta que fosse a antiga equipa que os dirigia, ela era patriota, enquanto os homens de Soros se opõem ao próprio conceito de nação e, portanto, à independência do seu país.

As manifestações e demissões sucedem-se: o Chefe de Estado-Maior, o Ministro do Negócios Estrangeiros (Relações Exteriores-br), o da Defesa, mas não o Primeiro-Ministro. Por seu lado, o Presidente azeri, Ilham Aliyev, rejubila. Ele ri-se à farta do Conselho da Europa e do Parlamento da União Europeia, proclama a sua vitória e anuncia a reconstrução dos territórios conquistados [11]. Os Britânicos disporão de novos privilégios para a British Petroleum (BP) e candidatam-se para explorar as minas de ouro azeris.

Tradução
Alva

[1] “Será o Artsakh (Carabaque) a tumba de Erdoğan ?”, “Carabaque : a OTAN apoia a Turquia enquanto procura eliminar o Presidente Erdoğan”, Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 6 & 13 de Outubro de 2020.

[2] The Great Game. On Secret Service in High Asia, by Peter Hopkirk, John Murray (1990).

[3] “Boris Johnson Statement to the House on the Integrated Review”, by Boris Johnson, Voltaire Network, 19 November 2020.

[4] “Larisa Minasyan: OSF-Armenia has supported and supports the velvet revolution in the country”, Arm Info, March 5 2019.

[5] «George Soros, especulador y filántropo», Red Voltaire , 3 de febrero de 2004.

[6] “Quatro mil jiadistas no Alto Carabaque”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 1 de Outubro de 2020.

[7] “George Soros envia 2 000 mercenários curdos para Arménia (Erdoğan)”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 3 de Novembro de 2020.

[8] “O terceiro cessar-fogo de Carabaque violado”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 3 de Novembro de 2020.

[9] Conferência de imprensa do Chefe de Estado-Maior cessante, o General Movses Ha-kobyan, Erevan, 19 novembre 2020.

[10] «Declaración de los Presidentes de Azerbaiyán, de Armenia y de Rusia», Red Voltaire , 9 de noviembre de 2020.

[11] “Ilham Aliyev’s Victory Speech”, Voltaire Network, 20 November 2020.