Em 15 de Fevereiro de 2021, a Presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi (Democrata, Califórnia), designou o General Russel L. Honoré (foto) para dirigir a equipa de investigação sobre a tomada, em 6 de Janeiro, do Capitólio.

Este personagem é conhecido por ter dirigido as operações de socorro durante o furacão Katrina. É um Republicano, próximo do antigo Presidente George W. Bush e ferozmente oposto ao anterior Presidente Donald Trump. Durante várias entrevistas à rádio e à televisão, ele indicou que, segundo a sua investigação, este acontecimento fora um « inside job » (trabalho interno-ndT), ou seja, fora montado a partir do próprio Capitólio.

A polícia do Congresso seria composta por 30 a 40 % de partidários do anterior Presidente Trump. Supostamente, ela teria deixado entrar os manifestantes e não apelara por reforços.

Partidários do Sr. Trump chamam à atenção que o General Honoré se opusera, no ano passado, a que se chamassem reforços durante o ataque a edifícios oficiais em Portland, Oregon. Espantam-se igualmente que ele tenha podido exprimir uma semelhante acusação um mês antes da sua nomeação. Entretanto, uma cerca provisória envolve agora os edifícios do Congresso. Ora, ela poderá ser erguida a título definitivo.

Tradução
Alva