A OTAN perdeu o rasto de um submarino russo, o Rostov-do-Don, ao largo do Líbano. Ele pertence à classe Kilo (ou classe Varshavyanka, segundo a nomenclatura russa) de submarinos movidos a propulsão diesel-eléctrica, reputada por ser a mais silenciosa no mundo.

Estando este submarino armado com mísseis subsónicos Kalibr e material de vigilância, a OTAN desencadeou uma vasta operação de localização, sem sucesso.

Ao mesmo tempo, as comunicações dos aviões britânicos com base em Chipre foram empasteladas. A OTAN considera pouco provável que tal seja da responsabilidade dos Sírios que não dispõem do material necessário, antes pensa tratar-se de um «ataque» russo. Nos últimos seis anos, o Exército russo tem mostrado as suas capacidades na matéria em Kaliningrado, na Crimeia e na Síria. Oficialmente, tratava-se de aviões britânicos de transporte, mas poderia também tratar-se de aviões de vigilância electrónica [1].

Tradução
Alva

[1] «Russia ‘jamming signals’ at RAF base», Larisa Brown, The Times, March 19, 2021.