O processo de Majid Khan, cidadão americano que serviu de correio para a Al-Qaeda no Paquistão, começou na base ilegal da Marinha dos EUA em Guantanamo.

Nessa altura, ele testemunhou de que forma foi tratado desde que foi raptado no Paquistão em Março 2003.

Pela primeira vez, um tribunal militar americano toma conhecimento dum depoimento desta natureza. Todos os actos descritos foram praticados por funcionários dos EUA.

Majid Khan declarou, entre outras coisas, ter sido pendurado nu, a uma viga do tecto, e regado com água gelada durante três dias, ter sido sujeito muitas vezes ao suplício do afogamento, sujeito a ouvir música ensurdecedor a, violado e deixado sem comer, sob vigilância médica.

Estas torturas repetiram-se sem parar durante três anos, em várias prisões diferentes, uma das quais completamente negra e sem casa de banho. Elas continuaram desde que foi internado no Camp 7 da base de Guantanamo até Outubro 2007.

Após este depoimento, os juízes militares nada contestaram.

Você encontrará a seguir o texto do depoimento em inglês.

titre documents joints


(PDF - 1.3 Mb)