Rede Voltaire

Crise egípcio-sudano-eritro-etíope

+

Vários conflitos opõem o Egipto e o Sudão:
- As fronteiras entre os dois estados não foram fixadas. A região de Halayeb ocupada pelo Egipto, desde 2000, continua a ser reivindicada pelo Sudão. Aquando da cedência das ilhas egípcias de Tiran e Sanafir à Arábia Saudita, em 2016, o reino teria reconhecido a soberania egípcia sobre Halayeb.
- O Sudão é governado por um ramo dos Irmãos Muçulmanos egípcios, actualmente interditos pelo Cairo. Esta acaba de assinar um acordo militar com a Turquia, actual padrinho da Irmandade, o qual instala uma importante guarnição no país que se junta à já presente na Somália.
- E, claro, a questão das águas do Nilo, de que maioritariamente o Egipto beneficia segundo um documento da colonização britânica contrário ao Direito Internacional actual.

A Etiópia está a construir a barragem da Grande Renascença, que lhe deverá dar os meios energéticos para o seu desenvolvimento económico. O Sudão e Egipto receiam que esta obra os prive de uma parte da sua água. No decurso dos últimos anos, as negociações falharam. O Cairo, que imagina a parcialidade de Cartum, pediu em vão que este seja substituído como mediador pelo Banco Mundial.

Os Presidentes Abdel Fattah al-Sissi (Egipto) e Omar Hassan al-Bashir (Sudão) encontraram-se com o Primeiro-ministro etíope, Hailemariam Desalegn, à margem da Cimeira da União Africana, em Addis Abeba, a 1 de Fevereiro de 2018. Os três homens fizeram gala de amabilidades frente às câmeras, com o Presidente al-Sisi assegurando que eles falavam todos a mesma linguagem em nome de um mesmo povo.

Os receios do Egipto e do Sudão, sobre uma eventual diminuição das águas do Nilo, teriam sido varridos por uma peritagem não publicada das empresas francesas Artelia e BRL.

No entanto, o Egipto transferiu secretamente homens para uma base militar dos Emirados Árabes Unidos na Eritreia, enquanto o Sudão concentra o seu exército na fronteira eritreia e a Etiópia acusa já a Eritreia de enquadrar acções terroristas para sabotar o estaleiro (canteiro-br) de obras da barragem.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.