Rede Voltaire

O início nazista da OTAN: Como o Ocidente implementou os objetivos de Hitler

Quem deu a NATO o direito de governar o mundo? Este autor elucida como a elite ocidental, da qual muitos integrantes eram apoiadores de Hitler, resgatou uma grande parte da hierarquia nazista e a colocou em posição de continuar a luta de muitas décadas contra a Rússia. O "Um Por Cento" da época e o "Um Por Cento" de hoje enviou milhões para a morte, formulando e adotando a promessa de Winston Churchill de 1918 de "estrangular no seu nascimento" a ameaça bolchevique. O controle total dos ditos meios de comunicação tradicionais promoveu essa tarefa odiosa.

+
GIF - 107.7 kb
Bem-vindo a Munique: o duque e a duquesa de Windsor, durante uma visita controversa à Alemanha, são cumprimentados por Hitler na cidade em 1937.

Muitos escritores têm documentado como as elites britânica e americana financiaram a ascensão de Hitler ao poder e não tomaram ações defensivas contra o Terceiro Reich até que ele voltou suas forças para o oeste. Na Grã-Bretanha, os membros de elite do clube "The Right Club", muitas vezes com conivência do governo, secretamente apoiaram as ações de Hitler contra os judeus e contra comunistas e socialistas. O duque de Wellington foi um conhecido antissemita e membro do clube. Eduardo VIII, conhecido como "o Rei Traidor" foi amigo íntimo de Adolf Hitler e foi forçado a desistir de seu trono, não por causa de Wallis Simpson, mas porque se descobriu que ele estava passando documentos sobre operações de guerra britânicos para os nazistas.discovered that he was passing British war operations documents to the Nazis. A aristocracia nunca foi submetida a dividir a riqueza com as classes menores e Adolf era igualmente susceptível para esses fins, sendo a destruição do untermenschen (raças/povos inferiores; massas) um dos principais planos da sua estratégia de conquista da Europa e Rússia.

JPEG - 16.5 kb
Até 1977, o BIS sediado em Basileia, Suíça, se escondeu do mundo. Os banqueiros diziam aos visitantes para irem até à loja "Frey’s Chocolate Shop" e entrar em uma porta sem identificação de um ex-hotel do lado da loja.

O Banco de Compensações Internacionais (Bank for International Settlements) era uma criação conjunta na década de ’30 dos bancos centrais do mundo ocidental, incluindo a Federal Reserve Bank de Nova York. Montagu Norman, presidente do Banco da Inglaterra foi um sincero apoiante de Hitler e, quando os nazistas marcharam para a Áustria em 1938, a maior parte do ouro do país foi embalado e carregado em cofres controlados pelo Banco de Compensações Internacionais - o principal banco central para o mundo ocidental. Um dia depois os nazistas marcharam para Praga, pegaram os diretores do Banco Nacional da República Checa como reféns e exigiram que eles cedessem o controle das reservas de ouro do país , que representavam cerca de 48 milhões de dólares. Informados de que o ouro já havia sido transferido para cofres em Londres, foram feitos esforços para contatar Montagu Norman - que imediatamente transferiu o dinheiro para os alemães para equipar sua máquina de guerra. Amigos, na verdade.

Os Estados Unidos da América ainda não tinham chegado na posição de principal potência mundial imperialista, mas muitas das suas elites estavam alinhados com os sentimentos da elite britânica . Um dos principais promotores da ascensão de Adolf Hitler e do partido nazista era ninguém menos que Prescott Bush, pai de George Herbert Walker Bush e avô de George W. Bush, ambos futuros presidentes e G. H. W. Bush como chefe da CIA. Esses criminosos de guerra têm mantido a sua popularidade entre os americanos de direita principalmente devido a uma mídia complacente que tem ocultado sua história amorosa com os nazistas da população em geral.

GIF - 62.5 kb

Em seu livro George Bush:The Unauthorized Biography [George Bush: A biografia não autorizada], Webster G. Tarpley e Anton Chaitkin escrevem o seguinte:

“Em outubro de 1942 ... Prescott Bush era sócio gerente de Brown Brothers Harriman. Seu filho de 18 anosde idade George, o futuro presidente dos EUA, tinha apenas começado o treinamento para se tornar um piloto naval. Em 20 de outubro de 1942, o governo dos EUA ordenou o embargo das operações bancárias nazistas na cidade de Nova York, que estavam sendo conduzidos por Prescott Bush. Sob o Trading with the Enemy Act, o governo assumiu o controle do Union Banking Corporation, no qual Bush era diretor. O U.S. Alien Property Custodian apreendeu participações acionárias do Union Banking Corp, pertencentes a Prescott Bush, Roland E. "Bunny" Harriman, três executivos nazistas e dois outros sócios de Bush.” . [1]

Tarpley e Chaitkin adicionam o seguinte:

A família do presidente Bush já havia desempenhado um papel central no financiamento e armamento de Adolf Hitler para a sua tomada da Alemanha... Decidindo que Prescott Bush e os outros diretores da Union Banking Corp eram legalmente os homens de frente para os nazistas, o governo evitou a mais importante questão histórica: de que forma os nazistas de Hitler foram contratados, armados e instruídos pelo pequeno e influente grupo de Nova York e Londres do qual Prescott Bush era um gerente executivo? [2]

Entre os que apoiavam a ascensão ao poder de Adolf Hitler estava o industrial Henry Ford, um conhecido odiador de judeus . Entre seus outros crimes, Ford... "se recusou a construir motores de avião para a Inglaterra, entretanto construiu suprimentos para os caminhões militares de 5 toneladas que eram a espinha dorsal do transporte militar alemão." [3] A lista de industriais norte-americanos ligados ao nazismo é muito longa para contar aqui, mas pode ser acessado no excelente livro de Charles Higham, Trading With The Enemy: the Nazi-american plot 1933 - 1949 . [4]

Claramente os líderes financeiros do Ocidente estavam do lado de Hitler, ocupados fornecendo fundos para seu fortalecimento militar e não até que ele os traiu ao atacar a Inglaterra quando os Aliados se uniram para derrotar as forças nazistas. Neste esforço uma pouco santa aliança foi formada; aquela das potências ocidentais e da União Soviética, a maior força na derrota contra as legiões de Hitler. No entanto, muito antes do fim da guerra os britânicos e os americanos estavam secretamente planejando redirecionar suas energias contra os soviéticos, um déjà vu da invasão de 1918 que o oeste montou contra os bolcheviques e certamente o mais desconhecido importante evento da história moderna. Para isso, britânicos e americanos resgatado os mais sanguinários criminosos de guerra nazistas - procurados pelos investigadores dos mesmos governos - e misturou-os dentro da maquina de terror britânica e americana.

Como Michael McClintock escreve:

“Foi logo depois da criação das Nações Unidas que os líderes americanos acharam necessário – como uma questão de interesse – quebrar as novas regras que eles publicamente louvavam. Ao fazer isso, eles desenvolveram novos sistemas através dos quais evitar a prestação de contas por ilegalidades – incluindo um enorme aparato para a intervenção secreta – e apresentar, por meio de um esforço extraordinário, as ações dos Estados Unidos, independentemente da natureza, como de acordo com o direito internacional”  [5]

JPEG - 13 kb

Ao mesmo tempo, como o oeste estava planejando suas ações clandestinas contra seus aliados da Segunda Guerra Mundial, ele também criou a formação do clube de terror conhecida como a OTAN, a Organização do Tratado do Atlântico Norte. Quase em sua totalidade era um empreendimento nazista. O general nazista Reinhard Gehlen, por exemplo, que havia liderado a Seção Rússia no Oberkommando der Wermacht (OKW - Supremo quartel general de Hitler ) e um consultor sobre a Solução Final, foi secretamente levado para os Estados Unidos, onde ele iria entregar o seu vasto acervo de arquivos ocultos sobre a União Soviética e, então, criar a Seção Rússia para a prestes a ser formada CIA. [6]

Gehlen teria, então, retornado à Alemanha pós guerra, onde ele foi colocado na posição de chefe da nova Bundesnachrichtendienst (BND), o Serviço de Inteligência Secreto alemão . Em essência, duas Seçoes Rússia (pelo menos) agora funcionaram em vez de apenas uma; ambas com o mesmo objetivo final: destruir a União Soviética e o comunismo.

Centenas, senão milhares de antigos Nazis found new life working for the US nazistas encontraram uma nova vida trabalhando para os EUA, Grã-Bretanha e Canadá jà que a Guerra Fria era iniciada e agora os assassinos de massa eram levados a elaboração de políticas governamentais pelos mesmos senhores feudais que haviam apoiado Hitler . E, com os mesmos velhos nazistas de volta ao comando, todo tipo de jogo sujo foi utilizado contra os soviéticos para prevenir qualquer desafio ao direito reservado ao capital global de ditar os termos de escravidão.

A Alemanha Ocidental, agora sendo dirigida por ex-nazistas sob o chanceler Konrad Adenauer, aderiu à NATO em 1954 e Gehlen manteve contacto e cooperação com seu mentor pró-nazista Allen Dulles – que se tornaria chefe da CIA – e com o irmão deste último, o Secretário de Estado John Foster Dulles. Logo a OTAN começou a nomear os experimentados e verdadeiros velhos nazistas em altas posições dentro da organização.

Em 1957, por exemplo, o general Hans Speidel tornou-se comandante-chefe do AFCENT (Forças Aliadas da Europa Central). O almirante nazista Friedrich Guggenberger juntou-se ao importantissimo comitê militar da OTAN em Washington e general Adolf Heusinger (antigo chefe de Gehlen no OKW de Hitler), tornou-se seu presidente. No Quartel-General Supremo das Potências Aliadas na Europa (SHAPE), Gehlen conseguiu nomear vários colaboradores nazistas em posições vitais [7].Entre eles estava o coronel Hennig Strumpell, que se tornou substituto do major-general britânico Charles Traver, o chefe adjunto do Estado-Maior (Intelligence) no SHAPE. Coronel Heinz Koller-Kraus foi nomeado chefe de logística do AFCENT de Speidel. Muitos outros homens de Gehlen em breve adeririam à NATO para definir suas políticas [8]

Com os mesmos nazistas bem integrados na NATO e a CIA se tornando uma extensão da antiga agência de inteligência nazista de Gehlen, o Nieue World Ordnung foi essencialmente transferido do Reichstag em Berlim para o Pentágono e a CIA em Langley, Virgínia.

Adicionado aos planos de batalha anti-soviéticos, as elites americanas reconheceram o valor do Ministério da Verdade de Goebbels e transformaram as lições aprendidas na mais sofisticada rede de propaganda do mundo jà criada. Agora, a todas as guerras ocidentais seriam dados títulos ilusórios, tais como: "guerras pela democracia", "guerras pela paz", "guerras pela justiça", "guerras humanitárias" e assim por diante. As elites empresariais que dirigem o Reino Unido e Canadá foram rápidos em adotar os mesmos elementos essenciais.

Dois dos componentes das guerras de propaganda para o americano/britânico/nazista Nieue World Ordnung foram a criação da Radio Free Europe e Radio Liberty - ambas compostas por antigos nazistas de Gehlen e financiadas pela CIA.  [9]

Estes assassinos de massa nazistas criaram uma Seção húngara, forneceram armas e apoio à elementos pró-nazistas clandestinos na Hungria e, junto com a CIA, instigaram a revolta húngara - que os soviéticos brutalmente reprimiram [10]. O uso principal deste episódio, no entanto, tinha pouco a ver com os mortos e moribundos, se buscava o valor propagandístico do episodio que retratava um "Império do Mal", que tinha de ser destruído. [11]

Dr. Taubert Eberhardt se juntou ao Partido Nazista em 1931 e logo foi promovido ao posto de Sturmführer, seguindo Goebbels ao Ministério da Propaganda. Após a guerra, Taubert se transferiu a África do Sul, onde ele encontrou conforto entre os neonazistas no poder em Joanesburgo, ocupados projetando o sistema de apartheid. Em 1950, ele retornou à Alemanha e se juntou a seu velho companheiro Reinhard Gehlen, tornando-se um membro do BND (Bundesnachrichtendienst = serviço inteligencia federal). Em seu novo posto no BND / CIA , Taubert tornou-se presidente da National Association for Peace and Freedom" ("Associação Nacional para a Paz e Liberdade" apoiada pela CIA) se tornando também um conselheiro do ministro da Defesa alemão, o ex-nazista Franz Josef Strauss, e foi então designado por Strauss à NATO como conselheiro para o "departamento de guerra psicológica". O Ministério da Verdade de Goebbels tem recirculado para alimentar os fundamentalistas cristãos, alguns recém-construídos como o velho e familiar "Tales from the Dark", tendo apenas embalagens diferentes. [12]

GIF - 56.1 kb
"Exércitos secretos da OTAN: Operação Gladio e Terrorismo na Europa Ocidental", de Daniele Ganser, Estudos de Segurança Contemporânea, fevereiro de 2005.

A OTAN também foi intimamente ligada a uma série de atentados terroristas na Itália na década de 1980, a fim de criar uma "estratégia de tensão", projetado para permitir que a asa direita fascista chegasse no poder e, assim, trazer "estabilidade" para o país. Este programa fez uso de numerosos terroristas de direita como Stefano Delle Chiaie membro de Ordine Nuovo e outras almas dementes que colocaram bombas em lugares públicos que mataram centenas, auxiliados na implementação pelos terroristas OTAN/nazistas de Gehlen. Embora bem coberta na Europa, graças à cumplicidade da mídia, mal se falou da história ali.

Em essência, estes e seus seguidores são as pessoas que dirigem a OTAN, que atualmente matando quem atravessa seu caminho ao redor do mundo, graças a pessoas como Barack Obama, Steve Harper e o resto das marionetes comandadas por déspotas do Ocidente; enquanto posam como defensores da humanidade.

Aviso: As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente aquelas da Rede Voltaire.

Tradução Vinicius Ritter

[1] Office of Alien Property Custodian, Vesting Order No. 248. The order was signed by Leo T. Crowley, Alien Property Custodian, executed October 20, 1942; F.R. Doc. 42-11568; Filed, November 6, 1942, 11:31 A.M.; 7 Fed. Reg. 9097 (Nov. 7, 1942). See also the New York City Directory of Directors (available at the Library of Congress). The volumes for the 1930s and 1940s list Prescott Bush as a director of Union Banking Corporation for the years 1934 through 1943.

[2] Webster Tarpley and Anton Chaitkin, George Bush: The Unauthorized Biography.

[3] Charles Higham, Trading With The Enemy, A Dell Book, 1983, p.23.

[4] Ibid, p.177.

[5] Michael McClintock, Instruments of Statecraft, Pantheon Books, NY 1992, P.24.

[6] E. H. Cookridge, Gehlen, Spy of the Century, Random House, NY, 1972.

[7] Ibid, p.301.

[8] Ibid.

[9] Ibid.

[10] Ibid.

[11] The Progressive, "Turn it Off" September 1993, p.10.

[12] Ibid, pp.10-11.

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
Autores: diplomatas, economistas, geógrafos, historiadores, jornalistas, militares, filósofos, sociólogos ... poderá enviar-nos seus artigos.
Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.

O início da viragem do mundo
A estratégia russa face ao imperialismo anglo-saxónico
O início da viragem do mundo
Thierry Meyssan
Ucrânia, objectivo na mira
«A arte da guerra»
Ucrânia, objectivo na mira
Manlio Dinucci, Rede Voltaire
 
Os «salvadores» do Iraque
«A arte da guerra»
Os «salvadores» do Iraque
Manlio Dinucci, Rede Voltaire
 
Ofensiva global NATO
"A arte da guerra"
Ofensiva global NATO
Rede Voltaire
 
Quem é o inimigo?
Israel
Quem é o inimigo?
Thierry Meyssan, Rede Voltaire
 
A metamorfose de Bachar el-Assad
A metamorfose de Bachar el-Assad
Thierry Meyssan, Rede Voltaire
 
Extensão da guerra do gaz ao Levante
«Sob os nossos olhos»
Extensão da guerra do gaz ao Levante
Thierry Meyssan, Rede Voltaire
 
O «Curdistão», versão israelita
«Sob os nossos olhos»
O «Curdistão», versão israelita
Thierry Meyssan, Rede Voltaire