Menos de um em cada dois eleitores votou no Líbano
Rede Voltaire

Menos de um em cada dois eleitores votou no Líbano

+

O Líbano realizou eleições legislativas, a 6 de Maio de 2018, após nove anos sem qualquer consulta nacional por sufrágio universal.

Cada eleitor está adstrito a uma comunidade religiosa registada (registrada-br). Pertencer a uma comunidade é hereditário e não tem nenhuma relação com a fé ou ausência de fé dos eleitores.

Uma nova lei eleitoral garantiu o imobilismo : o número de deputados por comunidade religiosa foi previamente fixado. Do mesmo modo, as funções do Presidente da Assembléia e do Primeiro-Ministro foram igualmente atribuídas antecipadamente por comunidade religiosa.

O sistema de votação foi proporcional, mas no quadro rígido das comunidades religiosas, o que bloqueou de facto a emergência de novos partidos políticos.

Nenhuma regra fixava as condições de financiamento da campanha.

Ao longo do dia, os partidos políticos patrocinados pelo Irão pediram aos eleitores que votassem. Eles solicitaram também que os horários das assembleias de voto fossem prolongadas. Pelo contrário, os partidos políticos patrocinados pela Arábia Saudita opuseram-se a isso.

No fim, menos de metade dos eleitores foi às urnas.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.